Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo comparativo da flora de Euglenaceae pigmentadas (Euglenophyceae) de lagos do parque estadual das fontes do Ipiranga, São Paulo, SP (1985)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: XAVIER, MIRIAM BORGES - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Subjects: ÁGUA DOCE; ECOLOGIA; EUGLENOIDES; MICROBIOLOGIA DA ÁGUA; CLIMA
  • Keywords: Euglenaceae
  • Language: Português
  • Abstract: Estudos de Euglenaceae pigmentadas relacionados a aspectos taxonômicos, ecológicos e sanitários foram realizados em lagos do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga, situado na cidade e Estado de são Paulo, Brasil. Procurou-se comparar um ambiente que recebe grande quantidade de matéria orgânica (localizado no Parque Zoológico) com outro mais protegido (localizado no Jardim Botânico). As coletas de amostras para o estudo taxonômico, num total de 237, foram feitas no período de julho de 1981 a setembro de 1983 (27 meses consecutivos), em dez estações de coleta, dentre as quais seis estão localizadas no Parque Zoológico e quatro no Jardim Botânico. O estudo ecológico foi realizado no período de outubro de 1982 a setembro de 1983. As amostras para tal fim foram obtidas de apenas três das estações de coleta (estações 1 e 2 no Parque Zoológico e estação 4 no Jardim Botânico). O estudo ecológico foi realizado concomitantemente com o taxonômico. No estudo taxonômico das Euglenaceae pigmentadas, foi feito o levantamento dos táxons desse grupo nas estações de coleta, tendo-se encontrado material em 211 das 237 amostras. Com base nesse estudo, identificaram-se 53 táxons infragenéricos, que foram classificados em cinco gêneros, da seguinte maneira: Euglena Ehrenberg, com 10 espécies e 5 variedades; Lepocinclis Perty, com 9 espécies e 5 variedades, Phacus Dujardin, com 7 espécies e 2 variedades; Strombomonas Deflandre, com 3 espécies e 1 variedade; e Trachelomonas Ehrenberg com 7espécies e 4 variedades. Dentre estes gêneros, Euglena Ehrenberg e Lepocinclis Perty foram aqueles representados pelo maior número de táxons (15 e 14, respectivamente); e Strombomonas Deflandre o que teve a menor representatividade (4). Todos os táxons foram descritos, medidos e, quando necessário, fez-se referência ao seu basiônimo. Foram também ilustrados e comentados com base em seus caracteres morfológicos vegetativos, analisados a partir de material vivo, sendo que em 95,0 por cento dos casos foram analisados amostras populacionais. Acrescentaram-se ainda informações quanto à distribuição geográfica de cada táxon no Estado de São Paulo. Seis chaves artificiais e indentadas acompanham o trabalho, sendo uma para a identificação dos gêneros e as outras para as espécies e variedades. Três mapas, 41 tabelas e 287 figuras ilustram o trabalho. Problemas taxonômicos e nomenclaturais, eventualmente verificados em certos táxons, foram levantados, bem como apresentadas soluções e sugestões para sua resolução. Foi proposta a seguinte mudança nomenclatural: Phacus acuminatus Stockes subesp. americana Pochmann para P. acuminatus Stockes var. americanus (Pochmann) Xavier, visando-se à uniformização da espécie. Algumas espécies ou variedades foram colocadas em sinonímia de outras como: E. pisciformie Klebs, na de E. agilis H.J. Carter Phacus pyrum (Ehrenberg} Stein var. ovata (Playfair), na de LepocincZis ovata (Playfair) Conrad var. ovata. No estudo ecológico procurou-secaracterizar o ambiente onde vive este grupo de organismos e, conseqüentemente, permitir o maior aproveitamento de sua potencialidade como indicadores biológicos de poluição orgânica carbonada da água. Procurou-se efetuar um estudo sazonal das Euglenaceae pigmentadas com base nas características do clima tropical. Foram considerados, também, fatores climatológicos, como: pluviometria, radiação solar, temperatura do ar, velocidade do vento e umidade relativa do ar. Os valores quantitativos das Euglenaceae pigmentadas foram mais elevados no período chuvoso e quente nas estações do Parque Zoológico do que naquele mais seco e frio. Foi feita uma primeira tentativa de correlacionar os dados de análises qualitativa e quantitativa das Euglenaceae pigmentadas com os valores de algumas características físicas e químicas da água, tais como: temperatura, cor e turbidez, condutividade elétrica, pH, alcalinidade, oxigênio dissolvido, matéria orgânica carbonada (medida indiretamente pelo oxigênio consumido), amônia, nitrato, nitrito, fosfato e cálcio. Constatou-se que os principais fatores físicos e químicos que interferem na proliferação de Euglenaceae pigmentadas nas estações 1 e 2 foram, ao que tudo indica, a temperatura da água, o pH, a amônia, o oxigênio dissolvido e a matéria orgânica carbonada, pois observou-se maior proliferação dos organismos quando os valores dessas variáveis foram respectivamente, 21,5 a 23,0ºC, 6,2 a 6,3, 1,7 a 1,9mg/l, 1,86 a 1,98mg e 7,3 a ll,Omg/l. Osdados obtidos do estudo sanitário foram discutidos e comparados com os da literatura, procurando-se classificar os organismos estudados em vários dos sistemas sapróbicos vigentes. A grande proliferação de Euglena communis Gojdics, Euglena polymorpha Dangeard e de Strombomonas ovalis (Playfair) Deflandre indicou, pelo menos nos casos estudados que as estações do Parque Zoológico são ambientes mais ricos em matéria orgânica carbonada e amônia do que a estação do Jardim Botânico. Assim, sugere-se o uso eventual desses três táxons como indicadores biológicos de poluição orgânica (carbonada) da água, desde que os valores da análise quantitativa estejam ao redor de 600 org./ml.lO-4. A indicação do uso destes táxons como indicadores biológicos de poluição orgânica carbonada para outros ambientes dependerá, obviamente, de mais estudos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 00.00.1985
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800043667574.929 28
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      XAVIER, Miriam Borges; ROCHA, Aristides Almeida. Estudo comparativo da flora de Euglenaceae pigmentadas (Euglenophyceae) de lagos do parque estadual das fontes do Ipiranga, São Paulo, SP. 1985.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1985. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-05012018-092754/ >.
    • APA

      Xavier, M. B., & Rocha, A. A. (1985). Estudo comparativo da flora de Euglenaceae pigmentadas (Euglenophyceae) de lagos do parque estadual das fontes do Ipiranga, São Paulo, SP. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-05012018-092754/
    • NLM

      Xavier MB, Rocha AA. Estudo comparativo da flora de Euglenaceae pigmentadas (Euglenophyceae) de lagos do parque estadual das fontes do Ipiranga, São Paulo, SP [Internet]. 1985 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-05012018-092754/
    • Vancouver

      Xavier MB, Rocha AA. Estudo comparativo da flora de Euglenaceae pigmentadas (Euglenophyceae) de lagos do parque estadual das fontes do Ipiranga, São Paulo, SP [Internet]. 1985 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/6/6134/tde-05012018-092754/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: