Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Brinquedos, brincadeiras: preferencias em diferentes contextos (1994)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BOMTEMPO, EDDA - IP
  • USP Schools: IP
  • Subjects: PSICOLOGIA; PSICOLOGIA DA CRIANÇA; RECREAÇÃO
  • Language: Português
  • Abstract: O presente estudo pretende identificar as preferências de brinquedos e brincadeiras entre crianças das 1ª e 2ª séries do 1º grau (n=242), de 3 escolas públicas e 5 privadas, localizadas nas cidades de São Paulo (6 escolas), Rio Claro (uma escola) e Rio de Janeiro (uma escola), a partir da análise de três trabalhos realizados por alunos de Pós-graduação do curso de Psicologia Escolar do IPUSP. Estes trabalhos optaram por dois tipos de técnicas de coleta de dados; entrevistas e/ou questionários. O trabalho realizado por Martins & Passadore (1990) procurou verificar com quais brinquedos a criança mais se identifica em dois diferentes níveis sócio-econômico, em duas escolas de São Paulo. Os resultados mostraram que não há diferencas acentuadas entre as preferências dos alunos da classe média alta e os alunos da classe baixa. Os brinquedos mais citados pela Escola particular foram nesta ordem: boneca, bicicleta, carros e bola. Os alunos da escola pública optaram por boneca, bicicleta, carros e videogame. O trabalho realizado por Freitas, Proença & Gomes (1991) procurou investigar quais as brincadeiras mais presentes em crianças de escolas urbanas e suburbanas, além de comparar as preferências entre dois Estados. A comparação dos resultados não indicou diferenças entre os contextos urbanos e suburbanos e entre os Estados. As brincadeiras mais citadas nas 4 escolas pesquisadas foram: casinha, boneca, pega-pega e esconde-esconde. O terceiro estudo realizado por Darido, Reis & Bafero (1992) procurou verificar como as diferenças regionais afetam as preferências das crianças em relação às brincadeiras. Os resultados não indicaram diferenças entre os dois contextos. As brincadeiras mais indicadas foram: pega-pega, esconde-esconde, corda e boneca. A análise dos resultados dos 3 estudos citados indicam que aos 8-9 anos as crianças ainda têm preferência pelos brinquedosque possibilitam o faz de conta e preferências por estas brincadeiras, além das tradicionais da cultura popular, como pega-pega e esconde-esconde. Quanto aos brinquedos o vídeo game foi um dos preferidos apenas na classe baixa. Isto pode indicar que o desejo de ter é maior do que o ter na realidade. Outra questão que pode ser levantada é a relativa universalidade das preferências das crianças desta faixa etária, pois os dados coletados nos diferentes contextos não mostram diferenças muito acentuadas.
  • Imprenta:
  • Source:
  • Conference titles: International School Psychology Colloquium

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IP12300033905Resumo digitado (AM=BEd/24)
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BOMTEMPO, Edda; DARIDO, S C. Brinquedos, brincadeiras: preferencias em diferentes contextos. Anais.. Campinas: [s.n.], 1994.
    • APA

      Bomtempo, E., & Darido, S. C. (1994). Brinquedos, brincadeiras: preferencias em diferentes contextos. In Abstracts. Campinas.
    • NLM

      Bomtempo E, Darido SC. Brinquedos, brincadeiras: preferencias em diferentes contextos. Abstracts. 1994 ;
    • Vancouver

      Bomtempo E, Darido SC. Brinquedos, brincadeiras: preferencias em diferentes contextos. Abstracts. 1994 ;