Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Toxocara canis: resposta de anticorpos IgG na infecção murina experimental na co-infecção com outros parasitos (1998)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LESCANO, SUSANA ANGÉLICA ZEVALLOS - ICB
  • USP Schools: ICB
  • Subjects: PARASITOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Estudou-se a resposta imune humoral expressa por anticorpos da classe IgG em camundongos BALB/c experimentalmente infectados com Toxocara canis em duas situações. Na primeira, com o objetivo de verificar in vivo a possível reatividade cruzadaentre Toxocara canis e outros parasitas (Ascaris suum, Taenia crassiceps, Schistosoma mansoni, Strongyloides venezuelensis e Toxoplasma gondii), foram realizados experimentos com três grupos de camundongos: um infectado apenas por T. canis,outro com uma das demais espécies de parasitos estudados e um terceiro concomitantemente infectado por T. canis e a espécie em questão. Todos os animais foram sangrados entre 23 e 70 dias após infecção e os soros foram analisados para detecçãode anticorpos anti-Toxocara por meio de teste imunoenzimático (ELISA) e Immunoblotting, empregando-se antígeno de excreção-secreção (ES) de T. canis. As associações T. canis-outro parasita apenas lograram demonstrar, nas condições experimentaisobservadas, ocorrência de reatividade cruzada no casa da infecção concomitante com A. suum. Nas coinfecções com S. mansoni ou S. venezuelensis observou-se menor taxa de letalidade quando comparada à ocorrida nos animais com as respectivasinfecções simples. A senguda situação em que se estudou a resposta imune humoral de camundongos BALB/c infectados com T.canis procurou determinar se a administração de drogas antihelmínticas alterava a produção de anticorpos anti-Toxocara, noperíodo por até 120 dias apóso tratamento. Foram utilizados três grupos de camundongos infectados com 300 ovos larvados de T. canis. Um foi mantido sem tratamento e os dois outros foram tratados durante 10 dias com tiabendazol ou albendazol.Para todos os experimentos utilizou-se grupo controle negativo. Os animais foram sangrados entre 23 e 120 dias após tratamento e os soros foram analisados pelos testes de ELISA e Immunoblotting. A resposta imune humoral determinada nos ) camundongos tratados com tiabendazol ou albendazol e no grupo não tratado não revelou diferenças significativas, indicando impossibilidade de avaliação terapêutica com o uso das técnicas empregadas. Foi possível, contudo, mediante arecuperação de larvas, após homogeneização do sistema nervoso central dos camundongos, perceber significativa redução no número de larvas presentes nos animais tratados com tiabendazol
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.11.1998

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ICB12100012889T-ICB BMP QX4 L624e 1998
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LESCANO, Susana Angélica Zevallos; CHIEFFI, Pedro Paulo. Toxocara canis: resposta de anticorpos IgG na infecção murina experimental na co-infecção com outros parasitos. 1998.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.
    • APA

      Lescano, S. A. Z., & Chieffi, P. P. (1998). Toxocara canis: resposta de anticorpos IgG na infecção murina experimental na co-infecção com outros parasitos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Lescano SAZ, Chieffi PP. Toxocara canis: resposta de anticorpos IgG na infecção murina experimental na co-infecção com outros parasitos. 1998 ;
    • Vancouver

      Lescano SAZ, Chieffi PP. Toxocara canis: resposta de anticorpos IgG na infecção murina experimental na co-infecção com outros parasitos. 1998 ;