Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Adição de sulfato de zinco a cimentos ionoméricos: influência na solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e no crescimento de streptococcus mutans (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OSINAGA, PRUDENCIO WILLY RODO - FO
  • USP Schools: FO
  • Subjects: MATERIAIS DENTÁRIOS
  • Language: Português
  • Abstract: Noscimentosexperimentais, os teores de Zn desprendidos foram mais elevados na fase inicial do que após as recargas; 4) a liberação média de F foi mais acentuada para o Ketac-Fil (especialmente para KF10), e nos primeiros dias da fase inicial. Doscimentosestudados, o teor de F liberado aumentou nos produtos que continham maior proporção de ZnS'O IND.4', sendo sempre mais elevados na fase inicial do que após as recargas; 5) a redução no crescimento de S.mutans ocorreu apnas para os c.p.com 1hora ) de idade. O halo de inibição foi mais extensopara o Vitremer e nos cimentos experimentais com teor mais elevado de ZnS'O IND.4'. Após recarga com F e F+Zn, os halos não caracterizaram eficácia dos produtos no crescimento deS.mutans.Frente aos resultados iniciais, serão necessárias pesquisas adicionais a fim de que os efeitos desta mudança na composição possam ser melhor compreendidosEsta pesquisa avaliou a influência da adição de ZnS'O IND.4' (5 e 10%) aos pós do Ketac-fil e do Vitremer, sobre a: solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e inibição do crescimento de S.mutans. As trêsúltimascaracterísticas foram observadas antes e após recarga dos c.p. em soluções de NaF (1500 ppmF), e NaF (1500 ppmF)+ZnS'O IND.4' (10mM). Os testes de solubilização foram efetuados com base na especificação da ISO para CIV. Os ensaios daresistênciaà flexão obedeceram ao método dos três pontos. As liberações de Zn (espectrometria de emissão atômica) e de F (eletrodo específico) foram determinadas por 15 dias (antes e após as recargas). O efeito antibacteriano foi calculado pelamensuraçãodos halos de inibição produzidos pelos c.p. (idades de 1 hora e 15 dias) antes e após as recargas, e nas mesmas idades, sobre culturas de S.mutans. Os seguintes resultados foram obtidos pela análise estatística dos dados: 1) asolubilizaçãoaumentou com a proporção de ZnS'O IND.4' mantendo-se dentro dos limites aceitos pela norma 7489 da ISO; 2) a resistência à flexão não foi significativamente afetada, sendo a do Vitremer superior à do Ketac-Fil; 3) quando presente, aliberaçãomédia de Zn foi mais acentuada no primeiro dia da fase inicial e para o Vitremer (especialmente para V10). Nos cimentos controles não foi detectada liberação de Zn, e mesmo após recarga com F+Zn, o teor foi muito baixo.
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.04.1999

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FO11500002678T2.398
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OSINAGA, Prudencio Willy Rodo; GRANDE, Rosa Helena Miranda. Adição de sulfato de zinco a cimentos ionoméricos: influência na solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e no crescimento de streptococcus mutans. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Osinaga, P. W. R., & Grande, R. H. M. (1999). Adição de sulfato de zinco a cimentos ionoméricos: influência na solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e no crescimento de streptococcus mutans. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Osinaga PWR, Grande RHM. Adição de sulfato de zinco a cimentos ionoméricos: influência na solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e no crescimento de streptococcus mutans. 1999 ;
    • Vancouver

      Osinaga PWR, Grande RHM. Adição de sulfato de zinco a cimentos ionoméricos: influência na solubilização, resistência à flexão, liberação de zinco e de flúor, e no crescimento de streptococcus mutans. 1999 ;