Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Características da mortalidade neonatal no Estado de São Paulo (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FLORES, LUIS PATRICIO ORTIZ - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • Subjects: MORTALIDADE; MORTALIDADE NEONATAL
  • Language: Português
  • Abstract: Descreve uma coorte de nascidos vivos e os correspondentes óbitos de menores de 28 dias e analisa a mortalidade neonatal no Estado de São Paulo, estimando riscos de morte por características do recém-nascido, da gestação e do parto, da mãe e causas de morte segundo a idade da criança ao morrer. Utiliza a técnica de "linkage", concatenando as declarações de óbitos com as respectivas declarações de nascidos vivos. Do total de 167.174 nascidos vivos, 51,2 por cento foram de sexo masculino; 9,2 por cento nasceram com baixo peso; 49,1 por cento correspondem a partos operatórios; 17,1 por cento foram de mães adolescentes; e 59,2 por cento foram de mães que não tenham completado o 1º grau. Por sua vez, a maioria dos 2.955 óbitos concatenados ocorreram no período neonatal precoce (81,9 por cento), sendo que 39,6 por cento concentraram-se durante as primeiras 24 horas de vida; enquanto mais de 70 por cento das mortes foram ocasionadas por doenças classificadas como evitáveis. Durante as primeiras 24 horas de vida, os recém-nascidos de muito baixo peso apresentaram uma chance de vir a óbito 26,6 vezes maior que os nascidos vivos de peso normal; entre os nascidos vivos de pré-termo, a probabilidade de morte é 35,6 vezes maior, e entre os nascidos vivos de pré-termo e baixo peso ao nascer, a probabilidade de morte é 99,3 vezes maior. A probabilidade de morte neonatal precoce seria reduzida em 12 por cento se fossem eliminadas as mortes ocorridas por doenças evitáveisatravés de adequado controle na gravidez; em 17 por cento, no caso das doenças evitáveis pela adequada atenção ao parto, e em 40 por cento através de prevenção, diagnóstico e tratamento médico precoces. Entre os recém-nascidos de baixo peso, com adequado controle na gravidez, a probabilidade de morte neonatal apresentaria uma diminuição maior que entre os nascidos com peso adequado; se fossem eliminadas as mortes com uma adequada atenção ao parto, o risco relativo aumentaria levemente; enquanto que por meio de prevenção, diagnóstico e tratamento médico precoces registrar-se-ia um aumento da sobremortalidade das crianças nascidas vivas com baixo peso, em relação às nascidas com peso normal
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.09.1999

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800022267Dr 405
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ORTIZ FLORES, Luis Patricio; SANTOS, Jair Lício Ferreira. Características da mortalidade neonatal no Estado de São Paulo. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Ortiz Flores, L. P., & Santos, J. L. F. (1999). Características da mortalidade neonatal no Estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Ortiz Flores LP, Santos JLF. Características da mortalidade neonatal no Estado de São Paulo. 1999 ;
    • Vancouver

      Ortiz Flores LP, Santos JLF. Características da mortalidade neonatal no Estado de São Paulo. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: