Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Seguimento de pacientes climatéricas em uma unidade básica distrital de saúde (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SANTOS, EVALDO DOS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGO
  • Subjects: GINECOLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Os benefícios da terapia de reposição hormonal (TRH) nas mulheres climatéricas já estão bem estabelecidos, porém há dificuldades em manter a aderência ao uso da TRH por tempo prolongado. Utilizamos o programa estatístico de computação GMC Pesquisa Biológica versão 7.4. Resultados: A média da idade das pacientes foi de 54,1 anos '+ OU -'7,6 (39-74); colesterol total médio foi de 205,7 mg/100m1 '+ OU -'42,1 (123-394); LDL médio foide 126,4 mg/1 OOmI '+ OU -'33,4 (74-201), HDL médio foi de 47,7 mg/100m1 '+ OU -'13,4 (26,379,4), média da glicemia de jejum 99,0 mg/dl '+ OU -'33,5 (74-201); volume uterino médio foi de 52,1 cm3 '+ OU -'29,7 (17-130,9); volume ovariano médio foi de 3,7 cm3'+ OU -'2,7(1,3-11,9). Os sintomas psicológicos (63,9%) a os neurovegetativos (55,1%) foram os mais freqüentes entre as pacientes. A hipertensão arterial (53,2%), varizes (38,6%), diabetes melito (15,2%), dislipidemia (12,7%) foram os principais processos mórbidos. Não obtivemos correlação entre densidades ósseas da coluna lombar a do fêmur a idade em anos das pacientes, a entre volumes uterinos a ovarianos médios a tempo após a menopausa. A citologia cérvico vaginal mostrou hipotrofia em 55% aatrofia em 16,7% das pacientes. Osteopenia em 34,9% a osteoporose em 27% das pacientes. O endométrio mediu menos de 5 mm em 78% das pacientes. Entre todas as usuárias de TRH, 74,7% não apresentaram nenhum efeito colateral a 17,7% apresentaram sangramento vaginal. Vinte a oito (18,0%) pacientesabandonaram o serviço. Onze (7,0%) eram usuárias de TRH, abandonaram o seguimento ambulatorial e também use da TRH. Nesse grupo os principais motivos relacionados para o abandono foram: particulares n=7 (8,9%) a efeitos colaterais n=6 (7,6%). O efeito colateral mais freqüente foi o sangramento vaginal (n=4), que representou 5,0% das causas de abandono da TRH. Em relação as pacientes não usuárias de TRH, 17 (10,76%) abandonaram o serviço, apresentando ) como causa mais importante os motivos particulares n=10 (12,6%). Conclusão: Esses dados sugerem que a falta de aderência a TRH deve-se tanto a motivos de ordem particular, como também de efeitos colaterais. Para as pacientes não usuárias de TRH os motivos particulares também foram os mais importantes, como causa de abandono ao seguimento ambulatorial. Com base nestas causas de abandono, no atendimento das mulheres climatéricas deve se avaliar as condições de saúde a sociais da família como um todo, envolvendo atuação multiprofissional neste atendimento
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.09.1999

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200035677Santos, Evaldo dos
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SANTOS, Evaldo dos; SÁ, Marcos Felipe Silva de. Seguimento de pacientes climatéricas em uma unidade básica distrital de saúde. 1999.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 1999.
    • APA

      Santos, E. dos, & Sá, M. F. S. de. (1999). Seguimento de pacientes climatéricas em uma unidade básica distrital de saúde. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Santos E dos, Sá MFS de. Seguimento de pacientes climatéricas em uma unidade básica distrital de saúde. 1999 ;
    • Vancouver

      Santos E dos, Sá MFS de. Seguimento de pacientes climatéricas em uma unidade básica distrital de saúde. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: