Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Diagnóstico de doenças degenerativas do sistema nervoso por análise ultraestrutural de biópsias extracerebrais (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CLIVATI, MARTA REGINA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPA
  • Subjects: PATOLOGIA CLÍNICA
  • Language: Português
  • Abstract: A maioria das doenças degenerativas ou metabólicas que acometem o sistema nervoso pode ser diagnosticada usando métodos bioquímicos ou por técnicas de biologia molecular. O estudo ultraestrutural de tecidos extracerebrais é necessário quando os defeitos enzimáticos ou bioquímicos são desconhecidos, como as lipofuscinoses ceróides, doença de Lafora e distrofia neuroaxonal infantil e nos casos em que estudos de DNA não são informativos. Foram analisadas ultraestruturalmente 55 biópsiasextracerebrais (28 biópsias de pele, 15 de conjuntiva ocular, 4 de músculo, 4 de mucosa retal, 2 de nervo periférico e 2 de medula óssea) de 48 pacientes com doenças neurológicas crônicas, provavelmente metabólicas ou degenerativas. O exame foi anormal em 28 biópsias, sendo que 22 (40% do total das biópsias) tiveram alterações específicas, permitindo o diagnóstico pela análise ultraestrutural isolada em 20 pacientes (41,6%). Estes tiveram o diagnóstico de lipofuscinose ceróide neuronal em 19 casos (3 formas infantis tardias, 8 juvenis e 8 atípicas) e um caso de doença de Lafora. Cinco biópsias tiveram alterações, porém não conclusivas. Nove pacientes tiveram biópsias normais, com os seguintes diagnósticos definidos clinicamente, por outro exame ou autópsia: pan-encefalite esclerosante sub-aguda (um caso), leucodistrofia - não especificada (um caso), encefalopatia mitocondrial (um caso), síndrome de Rett (dois casos), anóxia neonatal (um caso), síndrome de Rasmussen (umcaso), doença de Unverricht-Lundborg (um caso) e atrofia de múltiplos sistemas (um caso, este por autópsia). Dezessete pacientes com biópsias normais não têm um diagnóstico definido. Em relação ao tecido biopsiado, a conjuntiva e a pele são mais acessíveis, com resultados semelhantes, porém a primeira foi de mais fácil análise e revelou-se conclusiva em dois casos em que a pele foi inconclusiva. Todas as biópsias de mucosa retal e de medula óssea foram conclusivas, ) porém são mais invasivas e não devem ser considerados como primeira opção. Este estudo confirma a validade do exame ultraestrutural de tecidos extracerebrais, principalmente naquelas doenças em que não existe uma base metabólica bem definida, e onde o único método diagnóstico é a análise ultraestrutural
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 07.01.2000

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200058169Clivati, Marta Regina
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CLIVATI, Marta Regina; CHIMELLI, Leila M.C. Diagnóstico de doenças degenerativas do sistema nervoso por análise ultraestrutural de biópsias extracerebrais. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Clivati, M. R., & Chimelli, L. M. C. (2000). Diagnóstico de doenças degenerativas do sistema nervoso por análise ultraestrutural de biópsias extracerebrais. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Clivati MR, Chimelli LMC. Diagnóstico de doenças degenerativas do sistema nervoso por análise ultraestrutural de biópsias extracerebrais. 2000 ;
    • Vancouver

      Clivati MR, Chimelli LMC. Diagnóstico de doenças degenerativas do sistema nervoso por análise ultraestrutural de biópsias extracerebrais. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: