Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Gerações e ruptura institucional: influências no comportamento eleitoral no Brasil (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CONCEIÇÃO, SAMUEL BARICHELLO - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLP
  • Subjects: POLÍTICA; PARTICIPAÇÃO POLÍTICA; ELEIÇÕES (DIREITO); POLÍTICA
  • Language: Português
  • Abstract: Esta Dissertação tenta verificar o impacto que a história política recente do país teve no comportamento eleitoral da população. Para tanto, iniciamos o trabalho fazendo uma breve retrospectiva sobre a história de descontinuidades dos partidos políticos brasileiros entre 1964 e 1985. Tomando como ponto de partida hipótese baseada em Przeworski (1975), tentamos defender a idéia de que a série de interrupções no funcionamento das instituições partidárias brasileiras provocou um processo de instabilidade no comportamento da população, por ter impedido a formação de identidades estáveis entre o eleitorado e os partidos políticos. Com a introdução da idéia de identidades, defendemos a utilização dos conceitos estabelecidos pela Escola de Michigan, que orbitam em torno do conceito principal de "identidade partidária", como instrumentos úteis para o entendimento dessa falta de vínculos entre os partidos e os eleitores. Em seguida, verificamos como o estudo das continuidades nos padrões de votação, característicos de Michigan, estão ausentes no caso brasileiro, onde as análises, em sua maior parte, baseiam-se em estudos de cada eleição tomada isoladamente da outra, com base nesses pontos, e mediante a análise de uma série de surveys realizados entre 1989 e 1994, vemos que a idade do eleitor é uma variável explicativa da ausência ou não de identificação partidária entre o eleitorado brasileiro, e que o estudo da variação da presença de identificação mediante corte geracionalmostra a presença de distinções nítidas, no comportamento eleitoral da população, que coincidem com a extinção do sistema partidário criado em 1945 e do sistema partidário criado a partir de 1965. Isso indica que pode haver um vínculo causal entre os dois fatos, e que o voto da população tem como uma das variáveis determinantes os eventos anteriores por que os eleitores passaram, o que nos leva a concluir que nenhum estudo do voto, no caso ) brasileiro, pode se basear somente em uma eleição, tendo de sempre se referir a um processo temporal mais amplo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.03.2000

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH21000004559T CONCEIO, S.B. 2000
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CONCEIÇÃO, Samuel Barichello; MOISÉS, José Alvaro. Gerações e ruptura institucional: influências no comportamento eleitoral no Brasil. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.
    • APA

      Conceição, S. B., & Moisés, J. A. (2000). Gerações e ruptura institucional: influências no comportamento eleitoral no Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Conceição SB, Moisés JA. Gerações e ruptura institucional: influências no comportamento eleitoral no Brasil. 2000 ;
    • Vancouver

      Conceição SB, Moisés JA. Gerações e ruptura institucional: influências no comportamento eleitoral no Brasil. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019