Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Relação entre as áreas espaciais e interação de crianças pequenas em creche (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MENEGHINI, RENATA - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: PSICOLOGIA EDUCACIONAL
  • Language: Português
  • Abstract: Estudos anteriores mostraram o papel de suporte do arranjo espacial (maneira como móveis e equipamentos existentes em um local estão posicionados entre si) para ocupação do espaço e associações infantis em creches. O objetivo deste trabalho éverificar se crianças com diferentes freqüências de interação com as demais do grupo, ocupam diferentemente o espaço quando em interação, em atividade individual, ao observar outras e dirigir-se socialmente aos outros. Utilizou-se a coleta dedados de um estudo anterior, obtida por três câmeras de vídeo sem a presença do operador, que focalizaram um grupo de 14 crianças de 2-3 anos, da creche da USP de Ribeirão Preto (Carochinha). Constou de três fases: Fase I - áreas espaciaisestruturadas por estantes com superfície de apoio: uma zona circunscrita (espaço delimitado pelo menos em três lados por móveis, barreiras, desnível do solo, etc.) e duas zonas sem circunscrição (5 sessões); Fase II - duas zonas circunscritas:uma da etapa anterior e a outra delimitada por divisórias tipo grade (5 sessões); Fase III - três zonas circunscritas: duas da etapa anterior e uma cabana de papelão (4 sessões). Cada criança foi analisada minuto a minuto, registrando-se seucomportamento. Com base na freqüência média de interações do grupo e no desvio padrão, a cada fase identificou-se três subgrupos de criança (alta, média e baixa freqüência). A análise das interação criança-criança, em cada subgrupo, evidenciouque: (1) quanto maior o número dezonas circunscritas (última fase), houve redução significativas de interações na área do adulto, para todas as crianças, salientando-se o subgrupo alta freqüência, com nenhuma interação nesta área; as interaçõesocorreram preferencialmente na zona circunscrita com apoio, para todas as crianças, nas três fases. A análise de ocorrência das outras três categorias comportamentais mostrou: (1) nas três fases, maior ocorrência de atividade individual e ) menor, de comportamento socialmente dirigido; ambas com ocorrência preferencial na zona circunscrita com apoio, porém com diferença significativa apenas na Fase III; ocorrência preferencial na zona circunscrita com apoio, porém comdiferença significativa apenas na Fase III; (2) espectador ocorreu freqüentemente na zona do adulto, nas três fases, sendo significativamente maior nas duas primeiras; (3) todas as categorias, incluindo interação, ocorreram, na última fase, comfreqüência significativamente maior em pelo menos uma zona circunscrita. A relação da ocorrência destas três categorias com os subgrupos de interação evidenciou: (1) maior ocorrência de atividade individual, para todas as crianças, especialmentena fase inicial, com menor número de zonas circunscritas (embora sem diferença significativa inter-fases); (2) as crianças do subgrupo alta freqüência mostraram, em geral, freqüência menor de espectador e comportamento socialmente dirigido, nastrês fases; para as demais crianças, estes comportamentos foramsignificativamente inferiores na fase inicial, indicando o papel de suporte do arranjo espacial com maior número de zonas circunscritas para as crianças que interagiram menos. Opresente estudo mostra semelhanças e diferenças na ocupação do espaço, considerando o nível interativo das crianças. Aponta também a relevância do arranjo espacial com maior número de zonas circunscritas, salientando aquela com apoio, paraocorrência dos comportamentos analisados, favorecendo redução dos mesmos na área do adulto, o que disponibiliza o educador para interagir com crianças específicas, colaborando para melhorar a qualidade do atendimento oferecido
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 11.05.2000

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800044184Meneghini, Renata
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MENEGHINI, Renata; CAMPOS-DE-CARVALHO, Mara Ignêz. Relação entre as áreas espaciais e interação de crianças pequenas em creche. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Meneghini, R., & Campos-de-Carvalho, M. I. (2000). Relação entre as áreas espaciais e interação de crianças pequenas em creche. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Meneghini R, Campos-de-Carvalho MI. Relação entre as áreas espaciais e interação de crianças pequenas em creche. 2000 ;
    • Vancouver

      Meneghini R, Campos-de-Carvalho MI. Relação entre as áreas espaciais e interação de crianças pequenas em creche. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: