Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Síntese em fase sólida em alta temperatura: senqüências difíceis, colecistocininas-22 e 33 não sulfatadas e racemização (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SOUZA, MARCOS PAULO DE - IQ
  • USP Schools: IQ
  • Sigla do Departamento: QBQ
  • Subjects: SÍNTESE ORGÂNICA (QUÍMICA); AMINOÁCIDOS
  • Language: Português
  • Abstract: A síntese em fase sólida é o método mais utilizado na obtenção de peptídeos em laboratório. Em geral, as diferentes etapas do processo são realizadas em temperatura ambiente. De fato, até o início desta década, temperaturas elevadas (>'400GRAUS'C) eram empregadas apenas esporadicamente nas etapas de acoplamento. Em 1993, entretanto, Rabinovich e Rivier propuseram a realização de todas as etapas do processo a '75O GRAUS'C. Em 1996, Saneei e colaboradores tentaram automatizar oprocesso a 40-'50O GRAUS'C, apesar de não ter sido feita nenhuma avaliação sistemática prévia. Em 1997, Varanda & Miranda descreveram o primeiro estudo sistemático feito com a objetivo de investigar aspectos, vantagens, desvantagens e limitações da SPFS em altas temperaturas. O presente trabalho teve como objetivo ampliar os conhecimentos sobre o método através da avaliação de três importantes aspectos considerados problemáticos na SPFS convencional: racemização, agregação e síntese de peptídeos longos. Para tanto, vários peptídeos foram escolhidos como modelos de estudo. Todos eles foram sintetizados por SPFS convencional (usando protocolos de rotina de nosso laboratórios e por SPFS em alta temperatura, empregando as condições experimentais descritas por Varanda & Miranda em 1997). Os materiais brutos foram comparados em: I- suas recuperações a partir de suas peptidil- resinas correspondentes; II- suas qualidades RP-HPLC, determinação do conteúdo de aminoácidos e CE foram os métodos de análiseempregados. Os produtos e subprodutos majoritários foram isolados para caracterização química por análise de aminoácidos de seus hidrolisados totais e por espectrometria de massas. Os resultados obtidos demonstraram que no aspecto racemização a SPFS em alta temperatura, nas condições experimentais empregadas, mostrou-se equivalente à SPFS convencional: a incidência de estereoisômeros contaminantes nos peptídeos brutos foi inferior a 1%. ) O estudo do aspecto agregação evidenciou que se por um lado as condições experimentais empregadas para a SPFS em alta temperatura levaram a uma suposta minimização, por outro os peptídeos brutos obtidos foram de qualidade muito inferior a daqueles provenientes da síntese convencional: interrupções do crescimento das cadeias em resíduos de glutamina levaram à formação significativa de peptídeos contaminantes deletados. Se a agregação está ou não relacionada ao favorecimento destas reações secundárias é questão ainda não respondida. A síntese da CCK-22 humana não sulfatada sugeriu que o método de SPFS em alta temperatura é adequado à sua obtenção com bom rendimento e em tempo reduzido. Entretanto, a síntese da CCK-33 correspondente, um protótipo de peptídeo longo de seqüência complexa, evidenciou que, para a obtenção deste tipo de composto, a mistura 25% DMSO/tolueno pode não ser o solvente ideal comum para as etapas de desproteção, neutralização e acoplamento. Nestas condições, a mistura DIC/HOBt pode também não ser a melhor opção
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.03.2000
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    CQ30100002562T 574.192456 S729s
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUZA, Marcos Paulo de; MIRANDA, Maria Terêsa Machini de. Síntese em fase sólida em alta temperatura: senqüências difíceis, colecistocininas-22 e 33 não sulfatadas e racemização. 2000.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-29072019-161209/pt-br.php >.
    • APA

      Souza, M. P. de, & Miranda, M. T. M. de. (2000). Síntese em fase sólida em alta temperatura: senqüências difíceis, colecistocininas-22 e 33 não sulfatadas e racemização. Universidade de São Paulo, São Paulo. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-29072019-161209/pt-br.php
    • NLM

      Souza MP de, Miranda MTM de. Síntese em fase sólida em alta temperatura: senqüências difíceis, colecistocininas-22 e 33 não sulfatadas e racemização [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-29072019-161209/pt-br.php
    • Vancouver

      Souza MP de, Miranda MTM de. Síntese em fase sólida em alta temperatura: senqüências difíceis, colecistocininas-22 e 33 não sulfatadas e racemização [Internet]. 2000 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/46/46131/tde-29072019-161209/pt-br.php

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: