Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Resíduos da colheita e beneficiamento da caixeta - Tabebuia cassionides (Lam.) DC.: caracterização e perpectivas (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: NOLASCO, ADRIANA MARIA - EESC
  • USP Schools: EESC
  • Sigla do Departamento: SHS
  • Subjects: RESÍDUOS SÓLIDOS; PRODUTOS FLORESTAIS; RECURSOS NATURAIS; MANEJO FLORESTAL
  • Language: Português
  • Abstract: Os sistemas tradicionais de colheita e processamento da caixeta, na região do Vale do Ribeira - SP e Paranaguá - PR, foram caracterizados quanto a: (i) operações; (ii) mão-de-obra; (iii) produtividade; (iv) rendimento; (v) rentabilidade. Foram identificados, caracterizados e quantificados os diferentes tipos de resíduos; e identificados e analisados os fatores e operações geradoras, as formas tradicionais de manejo e as possibilidades e limitações para sua minimização e aproveitamento. O problema de pesquisa foi a sub-utilização dos recursos florestais da colheita e processamento da caixeta, que resultou no desperdício de matéria-prima, descartada na forma de resíduo, contribuindo para a geração de impactos ambientais negativos e baixa rentabilidade da atividade. A baixa rentabilidade é um estímulo à conversão dos caixetais em outros usos da terra, especialmente a agropecuária, levando à deterioração ambiental dos ecossistemas de Florestas de caixeta e ao comprometimento da continuidade da atividade das serrarias de caixeta, e ao comprometimento da continuidade da atividade das serrarias de caixeta, especialmente na região. O rendimento médio na colheita foi de 23,61 metros cúbicos por hora. A colheita para tamanco apresentou um aproveitamento de 35,6% da madeira total, sendo 64,4% resíduos. Para lápis, o aproveitamento foi de 45,6% e 54,4% de resíduos. A rentabilidade para o proprietário do caixetal foi extremamente baixa, US(12 anos), quando comparada com a bananicultura e a cultura do maracujá, outros usos da terra na região. Foram classificados como resíduos da colheita os galhos; árvores cortadas acidentalmente e não aproveitadas; toras danificadas, esquecidas ou abandonadas na floresta após a retirada da madeira comercial; e bromélias e outras espécies não madeireiras que foram danificadas ou mortas em decorrência das operações da colheita. As serrarias eram ) especializadas em um único tipo de produto (tabuinhas para lápis, tamanco ou peças pré-processadas para artesanato), com mercado extremamente restrito em função da substituição da caixeta por outras espécies, após a proibição da sua colheita no final da década de 80. Foram identificados os seguintes resíduos; (i) costaneira; (ii) aparas. Em média, 48,21% do volume de toras processadas se transformaram em resíduos. Maior volume foi gerado na produção de lápis, com perdas de 66,4%. Para tamanco as perdas foram de 44,63% e para artesanato, 34,6%. Devido ao baixo aproveitamento da matéria-prima, a rentabilidade do processamento também foi baixa, comprometendo a continuidade da atividade. A minimização e aproveitamento dos resíduos da colheita e processamento da caixeta, é fundamental para o aumento do rendimento, da rentabilidade e para a manutanção da atividade e dos benefícios sociais e ambientais de sua continuidade. Para tanto, é necessário o desenvolvimento e a adoção de um modelo integrado de produção com : (i)planejamento da colheita; (ii) adoção de tratamentos pré e pós colheita (redução de cipós, desbrota, direcionamento de queda, etc.); (iii) revisão dos critérios de seleção para corte e do DAP e comprimento de toras para os diferentes produtos; (iv) desenvolvimento de novos produtos, com uso múltiplo dos recursos do caixetal; (v) diversificação da produção; (vi) capacitação técnica e gerencial da mão-de-obra e dos proprietários de serraria e caixetal; entre outras medidas
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.04.2000

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    CRHEA31100109699TESE 3934 e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      NOLASCO, Adriana Maria; VIANA, Virgílio Maurício. Resíduos da colheita e beneficiamento da caixeta - Tabebuia cassionides (Lam.) DC.: caracterização e perpectivas. 2000.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2000.
    • APA

      Nolasco, A. M., & Viana, V. M. (2000). Resíduos da colheita e beneficiamento da caixeta - Tabebuia cassionides (Lam.) DC.: caracterização e perpectivas. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Nolasco AM, Viana VM. Resíduos da colheita e beneficiamento da caixeta - Tabebuia cassionides (Lam.) DC.: caracterização e perpectivas. 2000 ;
    • Vancouver

      Nolasco AM, Viana VM. Resíduos da colheita e beneficiamento da caixeta - Tabebuia cassionides (Lam.) DC.: caracterização e perpectivas. 2000 ;