Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Transferência placentária de anticorpos maternos anti-citomegalovírus naturalmente adquiridos (2000)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PINTO, PATRICIA CRISTINA GOMES - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: PEDIATRIA
  • Language: Português
  • Abstract: Embora a imunidade materna não previna completamente a transmissão congênita ou perinatal da infecção pelo Citomegalovírus (CMV), esta pode prevenir ou atenuar a doença pelo CMV. Considerando que a transferência placentária é função da idade gestacional (IG) para muitos anticorpos, crianças prematuras podem estar sujeitas a risco mais elevado de sofrer da doença causada pelo CMV. A transferência placentária de anticorpos específicos anti-CMV não havia sido investigada. Adequada avaliação desta transferência pode ser obtida estudando-se pares de mães e recém-nascidos provenientes de populações com elevadas taxas de soroprevalência para o CMV, pois reinfecções naturalmente adquiridas por este vírus freqüentemente reestimulam a produção de anticorpos específicos para o CMV nestas mães. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficiência da transferência placentária de anticorpos anti-CMV nas diferentes idades gestacionais em pares de mães e seus recém-nascidos de uma população de baixo nível sócio-econômico e elevada taxa de soropositividade para CMV. O total de 199 pares de mães soropositivas para o CMV e seus recém-nascidos sem história de infecção aguda ou crônica e crianças sem infecção congênita pelo CMV foram estudados. De acordo com a idade gestacional, os grupos foram compostos de 43 crianças de 28 a 30 semanas (média do peso de nascimento = 993g); 53 crianças de 31 a 33 semanas (média do peso de nascimento=15859); 64 crianças de 34 a 36 semanas (média do peso denascimento=2129) e 39 crianças de idade gestacional superior ou igual a 37 semanas (média do peso de nascimento = 2971g). Detecção quantitativa de anticorpos IgG anti-CMV foi realizada por meiode um ensaio imunoenzimático (Roche) em soros obtidos das 185 mães durante o parto e de suas crianças até 5 dias de vida. Regressão linear múltipla e análise de correlação (SAS system) foi realizada. As concentrações de anticorpos IgG anti-CMV foram similares ) nas mães (média de 3,9U/ml, variação: 1 a 17U/ml) e crianças (média de 3,2U/ml; variação: 0-17U/ml) e estas correlacionaram-se forte e positivamente (r=0,90, p<0,01) em todos os grupos. A idade gestacional e a concentração materna de IgG anti-CMV influenciou os níveis destes anticorpos das crianças (p=0,01) com uma interação de efeito (p=0,034). A média da razão anti-CMV recém-nascido/mãe foi de 59% com 28-30 semanas, 78% com 31-33 semanas; 90% com 34-36 semanas e 100% com mais de 37 semanas. Entretanto, apenas recém-nascidos de 28 a 30 semanas de idade gestacionai tinham níveis de anticorpos significativamente mais baixos do que crianças de maiores idades gestacionais (média geométrica dos títulos de 1,67 vs 2,58 vs 2,54 vs 3,08U/ml, respectivamente com 28 a 30 semanas; 31-33 semanas; 34-36 semanas e maiores que 37 semanas). Embora a eficiência da transferência placentária de anticorpos anti-CMV seja função da idade gestacional, os níveis de anticorpos específicos anti-CMV de recém-nascidos pré-termo maiores que 34semanas de idade gestacional podem não diferir daqueles de crianças a termo uma vez que estes níveis são também função dos níveis de anticorpos maternos. Estudos adicionais na proteção conferida por estes anticorpos são necessários
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.09.2000

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200060786Pinto, Patrícia Cristina Gomes
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PINTO, Patrícia Cristina Gomes; MUSSI-PINHATA, Marisa Márcia. Transferência placentária de anticorpos maternos anti-citomegalovírus naturalmente adquiridos. 2000.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2000.
    • APA

      Pinto, P. C. G., & Mussi-Pinhata, M. M. (2000). Transferência placentária de anticorpos maternos anti-citomegalovírus naturalmente adquiridos. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pinto PCG, Mussi-Pinhata MM. Transferência placentária de anticorpos maternos anti-citomegalovírus naturalmente adquiridos. 2000 ;
    • Vancouver

      Pinto PCG, Mussi-Pinhata MM. Transferência placentária de anticorpos maternos anti-citomegalovírus naturalmente adquiridos. 2000 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: