Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva em Podocnemis expansa (Schweigger, 1812), P. unifilis (Troschel, 1848) e P. sextuberculata (Cornalia, 1849) (Testudines, Pelomedusidae) (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MALVASIO, ADRIANA - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: REPRODUÇÃO ANIMAL; ALIMENTAÇÃO ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: Mediante a carência e a importância de trabalhos com a biologia de Testudines da fauna brasileira, foram avaliados em quelônios da região Amazônica, aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva para Podocnemis expansa, P. unifilis e P. sextuberculata. Estas espécies são bastante predadas pelo homem e utilizadas como alimento (carne e ovos), manufatura de cosméticos (óleo) e adornos (casco). É importante salientar que os resultados obtidos deste estudo podem ser utilizados para o manejo destas espécies, seja em cativeiro ou em projetos de preservação em áreas naturais. O comportamento alimentar e a preferência por alimentos de origem vegetal ou animal em cativeiro foram estudados em P. expansa, P. unifilis e em P. sextuberculata. O método utilizado para a observação do comportamento e da preferência alimentar é a amostragem de todas as ocorrências. Foi aplicado o teste t de Student aos itens alimentares, visando comparar diferenças alimentares durante o desenvolvimento de cada espécie. As principais conclusões são: as fases do comportamento alimentar são forrageio, perseguição, apreensão, dilaceração e ingestão; cleptoparasitismo ocorre nas 3 espécies e o mecanismo de neustofagia foi verificadoem P. unifilis; P. sextuberculata mostrou-se uma espécie predominantemente carnívora em cativeiro, enquanto P. expansa e P. unifilis mostraram-se onívoras; P. expansa pode ser considerada mais herbívora do que P. unifilis em cativeiro, nas faixas etáriasde 1 a 5 anos e maior de 5 anos; P. expansa é uma espécie mais sensível do que P. unifilis, com relação à alteração do local em que se coloca o alimento, principalmente da carne, diminuindo o seu consumo, caso este seja colocado fora da água. Foi investigado se ocorre variação morfométrica dependente da idade, no intestino das três espécies. Para isso, foram obtidos diversos dados morfométricos e o teste t de Student foi aplicado à proporção comprimento do ) intestino/comprimento da carapaça. Os resultados indicam que o crescimento do intestino ocorre em diferentes períodos em P. expansa e P. unifilis, além de indicar que ocorre mais cedo na primeira espécie, isto é, durante a transição entre indivíduos mais jovens que 1 ano, para indivíduos cuja idade varia de 1 a 5 anos. Em P. unifilis, esta transição ocorre em indivíduos cuja idade varia de 1 a 5 anos, para indivíduos mais velhos. O comprimento do intestino parece estar relacionado com o aumento do consumo de alimento vegetal, uma vez que P. sextuberculata é uma espécie mais carnívora do que as duas outras e apresenta um comprimento relativo menor do intestino. Isso reforça a necessidade de uma alimentação adequada para cada espécie, já que a morfologia do sistema digestório apresenta adaptações, provavelmente, em função da dieta. A morfologia do sistema digestório das três espécies é similar, mas em P. expansa e P. unifilis, o estômago possui uma constricção que delimita duas regiões neste orgão, ausentes emP. sextuberculata. Foi avaliado se a manipulação dos ovos de P. expansa e P. unifilis altera ou não a taxa de eclosão e a presença de defeitos nos recém-eclodidos, já que é comum o transplante dos ovos para outro local mais protegido, visando evitar a predação das covas por aves e, muitas vezes, retirar os ninhos de áreas sujeitas à inundação. Para isso, foi aplicado o teste t de Student aos valores em porcentagem que incluem: porcentagem de filhotes vivos, de filhotes vivos defeituosos, de filhotes vivos com vitelo não absorvido, de ovos inviáveis e a porcentagem de mortos. Esses dados foram avaliados em ovos manipulados e em ovos não manipulados. Após estudo realizado, as principais conclusões são: Os defeitos no casco não parecem estar ligados ao manuseio dos ovos em P. expansa. Em P. unifilis, os defeitos apresentam-se em maior quantidade nos filhotes cujos ovos foram manipulados em ) período não sensível (entre o primeiro ou terceiro dia, ou a partir do vigésimo nono dia após a desova). Em P. expansa, o número de filhotes vivos apresentou-se menor para ovos manuseados durante o período sensível (entre o quarto ou vigésimo oitavo dia após a desova) e o número de filhotes com vitelo não absorvido apresentou-se maior, quando comparados com os não manuseados. Em P. unifilis, comparando os ovos manipulados com os não manipulados, não há significância estatística na taxa de filhotes vivos ou mortos, podendo isso mostrar que a manipulação cautelosa dos ovos nãointerfere no sucesso das eclosões. Pode-se dizer que P. expansa é uma espécie mais sensível ao manuseio dos ovos do que P. unifilis. Efetuou-se a identificação sexual de filhotes por meio de estudos anatômicos e histológicos do sistema reprodutor de Podocnemis expansa e P. unifilis procedentes do Parque Nacional do Araguaia, Ilha do Bananal, Tocantins, Brasil. Fez-se a análise granulométrica de seis ninhos de cada uma das duas espécies e a temperatura de seis covas de P. expansa foi monitorada durante todo o período de incubação. As principais conclusões são: a) em relação à identificação sexual de P. expansa, o uso de análises anatômicas de gônadas e dutos ao estereomicroscópio resulta em dados acurados; em casos duvidosos, técnicas histológicas são necessárias; b) em relação à identificação sexual de P. unifilis, as características das gônadas, com forma oval e espessa nos machos e mais alongadas nas fêmeas, são aspectos confiáveis para estudos anatômicos ao estereomicroscópio; o critério de usar presença ou ausência de ovidutos deve ser evitado; em casos duvidosos, técnicas histológicas são necessárias; c) o pênis e o clitóris não devem ser usados para a identificação sexual de ambas as espécies devido à sua semelhança em estrutura nos filhotes; d) em relação à P. expansa, há correlação entre a temperatura de incubação e ) a granulometria dos sedimentos das covas; na maioria dos casos, temperaturas mais elevadas ocorreram em covas com sedimentos mais grossos; paratodos os ninhos monitorados, não há relação direta entre a temperatura de incubação e a determinação sexual dos filhotes; em relação a P. unifilis, não há correlação direta entre a granulometria das covas, o tempo de incubação e a determinação sexual
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.04.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000019750D-856
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MALVASIO, Adriana; SCHLENZ, Erika. Aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva em Podocnemis expansa (Schweigger, 1812), P. unifilis (Troschel, 1848) e P. sextuberculata (Cornalia, 1849) (Testudines, Pelomedusidae). 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Malvasio, A., & Schlenz, E. (2001). Aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva em Podocnemis expansa (Schweigger, 1812), P. unifilis (Troschel, 1848) e P. sextuberculata (Cornalia, 1849) (Testudines, Pelomedusidae). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Malvasio A, Schlenz E. Aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva em Podocnemis expansa (Schweigger, 1812), P. unifilis (Troschel, 1848) e P. sextuberculata (Cornalia, 1849) (Testudines, Pelomedusidae). 2001 ;
    • Vancouver

      Malvasio A, Schlenz E. Aspectos do mecanismo alimentar e da biologia reprodutiva em Podocnemis expansa (Schweigger, 1812), P. unifilis (Troschel, 1848) e P. sextuberculata (Cornalia, 1849) (Testudines, Pelomedusidae). 2001 ;