Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Diversidade de ácaros (Arthropoda: Acari) em euforbiáceas (Euphorbiaceae) de três localidades do Estado de São Paulo (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ZACARIAS, MAURICIO SERGIO - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LEF
  • Subjects: PARASITOS DE PLANTAS; CONTROLE BIOLÓGICO
  • Language: Português
  • Abstract: Pouco se sabe sobre a diversidade de ácaros em plantas nativas no Brasil. No contexto do controle biológico de pragas agrícolas, a preservação de estações de refúgio tem função fundamental na conservação da diversidade de inimigos naturais. Plantas da família Euphorbiaceae são bastante comuns e freqüentes em ecossistemas naturais e mesmo em sistemas regenerados no Estado de São Paulo. Estas plantas podem atuar como reservatórios dos ácaros fitófagos e seus inimigos naturais que ocorrem ou possam vir a ocorrer em plantas cultivadas. Isto se reveste de importância se for considerada a tendência ao monocultivo de seringueiras (Hevea brasiliensis (H.B.K.) M. Arg.) em larga escala e a destruição de áreas remanescentes de ecossistemas naturais, com a diminuição da biodiversidade dos inimigos naturais das pragas. Este trabalho foi conduzido nos municípios de Pariquera-Açu, Cananéia e Piracicaba, para se determinar as espécies de ácaros encontradas em plantas da família Euphorbiaceae. No total, foram amostradas folhas de 49 plantas pertencentes a 12 espécies de 9 gêneros diferentes. Nestas, foram coletados 31.603 ácaros de 105 espécies pertencentes a 74 gêneros e 16 famílias. Do total de espécies de ácaros coletados, 21 pertencem a famílias essencialmente fitófagas (Tenuipalpidae, Tetranychidae, Diptilomiopidae e Eriophyidae) e 32 a espécies essencialmente predadoras (Ascidae, Cunaxidae, Stigmaeidae, Cheyletidae, Eupalopsellidae e Phytoseiidae). Asdemais (41 espécies) são compostas principalmente por ácaros que se alimentam sobre o filoplano, sendo principalmente detritívoros, algívoros, fungívoros, bacteriófagos ou polenófagos. A análise da similaridade entre as espécies de plantas, de acordo com as espécies de ácaros que apresentavam em comum, possibilitou a delimitação de 3 grupos de espécies vegetais distintos: Grupo "Pariquera-Açu" - todas espécies vegetais de Pariquera-Açu mais Alchorneatriplinervea M. Arg. de ) Cananéia, Grupo "Piracicaba" - todas espécies vegetais de Piracicaba e Grupo "Pera glabrata (Schott) Baill." de Cananéia, composta por apenas uma espécie de planta de Cananéia. De maneira geral, pode-se dizer que o Grupo "Pariquera-Açu" apresentou aproximadamente a mesma diversidade que o Grupo "P. glabrata", e ambos consideravelmente maior que aquela do Grupo "Piracicaba". A riqueza de espécies do Grupo "Pariquera-Açu" foi consideravelmente maior que a dos demais grupos. Entre os ácaros da família Phytoseiidae coletados, 25 pertencem a espécies já descritas e 4 a espécies novas para a ciência. As espécies de fitoseídeos encontradas em seringueira de Pariquera-Açu são distintas daquelas encontradas na mesma planta em Piracicaba. As espécies vegetais P. glabrata e A. triplinervea de Cananéia e Alchornea glandulosa Poepp. & Endl., A. triplinervea e Sebastiania sp. de Pariquera-Açu também abrigam a espécie de fitoseídeo mais abundante em seringueiras em Pariquera-Açu (Typhlodromips sp.). As espéciesvegetais Hura crepitans Linn., Joanesia princeps Vell. e Pachistromma longifolium M. Arg. de Piracicaba abrigam a espécie de fitoseídeo mais abundante em seringueiras daquela localidade (Typhlodromina camelliae (Chant & Yoshida-Shaul)). São descritas 4 espécies novas de fitoseídeos coletados em plantas da Mata Atlântica: Proprioseius retroacuminatus sp. n., Phytoseius globuliformis sp. n., Kampimodromus multicupulatus sp. n. e Galendromimus paulistus sp. n. Os ácaros da família Tydeidae coletados neste estudo pertencem a 30 espécies em 19 gêneros. Destas, 22 espécies e 7 gêneros são novos para a ciência. Lorryia sp. n.1 se apresentou como o ácaro mais abundante em seringueiras em Piracicaba. O estudo indicou que espécies de euforbiáceas encontradas na vegetação natural dos locais estudados podem desempenhar papel importante de reservatório de inimigos naturais de ácaros praga da seringueira
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 09.04.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500019936t583.95 Z13d ex.2 76096
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZACARIAS, Maurício Sérgio; MORAES, Gilberto Jose de. Diversidade de ácaros (Arthropoda: Acari) em euforbiáceas (Euphorbiaceae) de três localidades do Estado de São Paulo. 2001.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2001.
    • APA

      Zacarias, M. S., & Moraes, G. J. de. (2001). Diversidade de ácaros (Arthropoda: Acari) em euforbiáceas (Euphorbiaceae) de três localidades do Estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Zacarias MS, Moraes GJ de. Diversidade de ácaros (Arthropoda: Acari) em euforbiáceas (Euphorbiaceae) de três localidades do Estado de São Paulo. 2001 ;
    • Vancouver

      Zacarias MS, Moraes GJ de. Diversidade de ácaros (Arthropoda: Acari) em euforbiáceas (Euphorbiaceae) de três localidades do Estado de São Paulo. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: