Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Sobrecarga de ferro em homens com infecção crônica pelo virus hepatite B: prevalência, significado clínico e papel das mutações no gene HFE (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ARAÚJO FILHO, ANTONIO DE BARROS - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RCM
  • Subjects: MEDICINA INTERNA
  • Language: Português
  • Abstract: Sobrecarga de ferro, geralmente de leve intensidade, tem sido observada em pacientes com infecção pelo vírus da hepatite B (HBV). As causas desse fenômeno ainda não estão esclarecidas. As mutações no gene HFE têm sido implicadas como possível causa de sobrecarga de ferro em pacientes com outras etiologias de hepatopatia. O excesso de ferro nestes pacientes poderia levar a maiores graus de inflamação e de fibrose hepática. Não existem na literatura trabalhos que avaliam a distribuição do ferro no fígado de pacientes com infecção pelo HBV. Os objetivos do presente trabalho foram: determinar a prevalência da sobrecarga de ferro, no sangue e fígado, em portadores crônicos da infecção pelo HBV; relacionar os sinais de sobrecarga com a presença das mutações no gene HFE; estudar a influência da sobrecarga de ferro nos parâmetros bioquímicos de lesão hepática (AST, ALT, GGT) e nos graus de inflamação, de necrose e de fibrose na biópsia hepática; determinar a intensidade do depósito de ferro no fígado a determinar a distribuição do ferro no fígado e sua relação com a gravidade da inflamação e da fibrose hepática. Foram estudados 81 pacientes do sexo masculino com infecção crônica pelo HBV, com idade média de 34 '+ OU -' 11 anos. Foram realizadas dosagens sanguíneas de enzimas hepáticas (ALT, AST a GGT), avaliados parâmetros bioquímicos de sobrecarga de ferro (ferro a ferritina séricas, UIBC e saturação de transferrina) e pesquisadas as mutações no gene HFE. Quarentapacientes foram submetidos à biópsia hepática, a qual foi classificada de acordo com os graus de inflamação e de fibrose (em todos), com a intensidade do depósito e a distribuição de ferro (coloração de Perls; em 39 pacientes). Dezenove (23,4%) pacientes apresentaram mutação no gene HFE, sendo 15 (18,5%) heterozigotos para H63D, 4 (4,9%) homozigotos para H63D e 1 (1,2%) heterozigoto composto (C282Y a H63D). Nenhum homozigoto para C282Y foi encontrado. ) Vinte e dois (27,1 %) pacientes apresentaram critério de sobrecarga de ferro no sangue (saturação de transferrina >40%) e 19 (48,7%) dos 39 pacientes com biópsia hepática apresentaram sobrecarga de ferro no fígado, a maioria de leve intensidade, sendo classificada como grau I em 68,4% e grau II em 31,6% dos casos. A distribuição do ferro depositado no fígado foi hepatocítica em 9 (47,3%), macrofágica em 6 (31,5%) e difusa em 4 (21,1%). Nenhum caso de cirrose foi encontrado. Não houve associação entre sobrecarga de ferro no sangue ou fígado e a presença das mutações no gene HFE, entretanto vale ressaltar que apenas 1 paciente tinha a mutação C282Y (era também heterozigoto para H63D - mutação composta) a apresentava sobrecarga de ferro no sangue e no fígado. Maior atividade bioquímica da doença hepática (p=0,026) foi encontrada em pacientes com sinais de sobrecarga de ferro no sangue. Maiores graus de inflamação (p=0,016) e de fibrose (p=0,025) no fígado foram encontrados em pacientes com sobrecarga de ferrono fígado. Observou-se maiores "scores" de atividade necro-inflamatória (p=0,018) em pacientes cujo acúmulo de ferro no fígado era difuso e tendência a maiores "scores" de fibrose (p=0,063) nestes pacientes. Concluímos que a sobrecarga de ferro em homens com hepatite crônica pelo HBV foi freqüente e geralmente leve, foi associada a maior atividade da doença hepática avaliada por parâmetros bioquímicos no sangue a maior gravidade da lesão hepática avaliada por "scores" de atividade necro-inflamatória e de fibrose, fenômeno observado particularmente quando a distribuição do ferro foi difusa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.03.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200035495Arajo Filho, Antonio de B.
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ARAÚJO FILHO, Antônio de Barros; MARTINELLI, Ana de Lourdes Candolo. Sobrecarga de ferro em homens com infecção crônica pelo virus hepatite B: prevalência, significado clínico e papel das mutações no gene HFE. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Araújo Filho, A. de B., & Martinelli, A. de L. C. (2001). Sobrecarga de ferro em homens com infecção crônica pelo virus hepatite B: prevalência, significado clínico e papel das mutações no gene HFE. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Araújo Filho A de B, Martinelli A de LC. Sobrecarga de ferro em homens com infecção crônica pelo virus hepatite B: prevalência, significado clínico e papel das mutações no gene HFE. 2001 ;
    • Vancouver

      Araújo Filho A de B, Martinelli A de LC. Sobrecarga de ferro em homens com infecção crônica pelo virus hepatite B: prevalência, significado clínico e papel das mutações no gene HFE. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: