Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Expressão da proteína Fos em cérebro de ratos após exposição ao labirinto em T elevado (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: STILCK, SONIA REGINA DE ANDRADE NOGUEIRA - IP
  • USP Schools: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: NEUROANATOMIA; CONDICIONAMENTO (PSICOLOGIA); ANÁLISE DO COMPORTAMENTO; CÉREBRO; RATOS; LABIRINTO
  • Language: Português
  • Abstract: A expressão da proteína Fos tem sido considerada um bom indicador de atividade neuronal. Métodos de imunohistoquímica para a detecção de Fos em regiões cerebrais, têm sido largamente empregados para mapear estruturas cerebrais envolvidas com processos de ansiedade e estresse. Ratos machos foram testados no Labirinto em T elevado, um modelo etológico de ansiedade. Esse modelo propõe a avaliação de duas diferentes tarefas medidas em seus braços: esquiva passiva e fuga, relacionadas ao medo condicionado e incondicionado respectivamente. Os resultados foram avaliados através de dois métodos. No primeiro foi realizada uma análise qualitativa que ofereceu uma visão geral de todas as áreas ativas encontradas nos cortes. No segundo, foi realizada uma análise quantitativa, onde apenas as principais estruturas relacionadas à ansiedade, como a MCP, amígdala, hipotálamo, córtex pré-frontal, septo e hipocampo ou as áreas ativas aferentadas por elas, foram avaliadas. Os resultados confirmam a participação de uma série de estruturas cerebrais relacionadas à ansiedade e ao estresse. Os critérios estatísticos demostraram três padrões diferentes de ativação. Em síntese, esses padrões dizem respeito a: a) estruturas de ativação mista (fuga e esquiva): matéria cinzenta periaquedutal ventral e dorsal, núcleo medial da amígdala, e núcleo paraventricular do tálamo, b) regiões ativadas predominantemente pela tarefa de esquiva: locus coeruleus, camadas profundas do colículosuperior, matéria cinzenta periaquedutal ventral e dorsal, núcleo dorsal da rafe, diversos núcleos do hipotálamo, tálamo, córtices frontal e piriforme, bed nucleus da estria terminal e núcleo endopiriforme, e c) estruturas de ativação semelhante ao controle nas duas tarefas: colículo inferior, núcleo mediano da rafe, matéria cinzenta periaquedutal lateral, septo (lateral e medial) caudato-putamem e núcleo accumbens. Esse trabalho demonstrou também particularidades ) na atividade do colículo inferior, relacionadas à diferenciação de locais de ativação predominantes, tarefa-dependentes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.09.1999

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IP12300009608T BF199.5 S856e e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      STILCK, Sonia Regina de Andrade Nogueira; GRAEFF, Frederico Guilherme. Expressão da proteína Fos em cérebro de ratos após exposição ao labirinto em T elevado. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Stilck, S. R. de A. N., & Graeff, F. G. (1999). Expressão da proteína Fos em cérebro de ratos após exposição ao labirinto em T elevado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Stilck SR de AN, Graeff FG. Expressão da proteína Fos em cérebro de ratos após exposição ao labirinto em T elevado. 1999 ;
    • Vancouver

      Stilck SR de AN, Graeff FG. Expressão da proteína Fos em cérebro de ratos após exposição ao labirinto em T elevado. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: