Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Palinotaxonomia de Orthotrichineae Fleish. (Bryales-Bryophyta)do Brasil (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PONZO, ANDREA PEREIRA LUIZI - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: BOTÂNICA (CLASSIFICAÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: O estudo palinotaxonômico de 61 táxons de Orthotrichineae, incluindo Erpodiaceae, Helicophyllaceae, Orthotrichaceae e Rhachitheciaceae, foi realizado através de observações sob ML, MEV e MET. Os esporos apresentaram-se em mônades, de tamanho muito pequeno a médio; apolares (esferoidais, de contorno subcircular) ou heteropolares (amb subcircular, forma em vista equatorial plano-convexa a câncavo-convexa, raro biconvexa); inauperturados ou com uma região apertural proximal; esporoderma formado por intina, exina e perina. A heteropolaridade dos esporos de alguns táxons esteve relacionada à variação de espessura dos estratos do esporoderma, principalmente, da intina. A ocorrência de intina estratificada foi constatada nos esporos de Erpodiaceae e Helicophyllaceae, o que distingue essas famílias das demais. A organização dos elementos de perina resultou nos diferentes padrões de ornamentação da superfície e permitiu a distinção de alguns gêneros, grupos de espécies e espécies estudadas. As análises qualitativa e quantitativa das amostras possibilitaram indicar a ocorrência de anisosporia em algumas espécies de Orthotrichaceae dos gêneros Groutiella, Macromitruim e Schlotheimia. As Erpodiaceae apresentaram esporos apolares, inaperturados, com superfície granulada. Projeções de exina sustentando elementos de perina foram observadas nos esporos de Erpodium pringlei (Erpodiaceae). A distinção das Helicophyllaceae se baseou nos esporos heteropolares, com umaregião apertural proximal evidenciada externamente, superfície granulada, com gemas que se apresentaram formando placas no pólo proximal. Os esporos de Orthotrichaceae mostraram-se heteropolares, com uma região apertural proximal, conspícua em alguns gêneros, a superfície foi granulada, baculada, gemada, verrugosa, insulada ou rugulada. Em Rhachitheciaceae, os esporos heteropolares apresentaram uma região apertural sem evidência externa e superfície granulada, ) baculada ou perfurada. Os resultados apoiaram a interpretação polifilética das Orthotrichineae e demonstram a importância da avaliação palinológica como referência para estudos taxonômicos, sugerindo a ampliação deste conhecimento e sua inclusão em análises filogenéticas, que possibilitarão estabelecer o significado evolutivo das características dos esporos dos musgos até aqui conhecidos
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.10.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000020173D-877
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PONZO, Andréa Pereira Luizi; MELHEM, Therezinha Sant'anna. Palinotaxonomia de Orthotrichineae Fleish. (Bryales-Bryophyta)do Brasil. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Ponzo, A. P. L., & Melhem, T. S. 'anna. (2001). Palinotaxonomia de Orthotrichineae Fleish. (Bryales-Bryophyta)do Brasil. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Ponzo APL, Melhem TS'anna. Palinotaxonomia de Orthotrichineae Fleish. (Bryales-Bryophyta)do Brasil. 2001 ;
    • Vancouver

      Ponzo APL, Melhem TS'anna. Palinotaxonomia de Orthotrichineae Fleish. (Bryales-Bryophyta)do Brasil. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: