Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Biocorrosão de um amálgama de prata e de uma liga à base de cobre-alumínio induzida por Streptococcus mutans (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ZAVANELLI, ADRIANA CRISTINA - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Sigla do Departamento: 805
  • Subjects: AMÁLGAMA DENTÁRIO; STREPTOCOCCUS MUTANS
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho foi desenvolvido com a finalidade de analisar a liberação de íons metálicos de corpos-de-prova confeccionados com um amálgama de prata (Velvalloy, S. S. White) e uma liga à base de cobre-alumínio (Duracast M.S.) na presença (grupo experimental) e ausência (grupo controle) do microrganismo Streptococcus mutans por meio do espectofotômetro de absorção atômica (Shimadzu) e observação das superfícies metálicas por meio do microscópio eletrônico de varredura (JEOL-JSM 5410). Os corpos-de-prova de amálgama (3x12mm), após o preparo foram polidos com polimento metalográfico ou brunimento, e os corpos-de-prova de liga à base de cobre-alumínio polidos com borrachas abrasivas seqüenciais ou polimento metalográfico. Foram esterilizados em óxido de etileno e imersos em 15 mL do meio de cultura Muiler-Hinton Broth (Difco) preparado com água Mili-Q (Millipore) com sacarose P.A. (Reagen) a 0,025% e inoculado com Streptococus mutans (cepa de campo) a 37°C, sob agitação constante de 100 rpm (Agitador Orbital Marconi) durante 60 dias. O meio de cultura foi trocado a cada 72h, reservado 1,0 mL, a diluído em 9,0 mL de água Mili-Q para análise dos metais liberados. Foram removidos do meio de cultura aos 15, 30, 48 e 60 dias para observação por meio do microscópio eletrônico de varredura. Os dados coletados evidenciaram a formação do biofilme e a corrosão induzida pelo microrganismo Streptococcus mutans nas amostras de amálgama a liga à base de cobre-alumínio. Aespectrofotometrìa de absorção atômica revelou a liberação dos íons metálicos cobre, ferro, manganês, níquel e zinco da liga de cobre-aluminio a prata, níquel e zinco do amálgama. A microscopia eletrônica de varredura mostrou a aderência bacteriana desde o início do experimento, com aumento da corrosão no decorrer do período de 60 dias. Estes resultados mostraram o papel do biofilme bacteriano na corrosão dos metais
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 31.05.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700006094TESE
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ZAVANELLI, Adriana Cristina; PANZERI, Heitor. Biocorrosão de um amálgama de prata e de uma liga à base de cobre-alumínio induzida por Streptococcus mutans. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Zavanelli, A. C., & Panzeri, H. (2001). Biocorrosão de um amálgama de prata e de uma liga à base de cobre-alumínio induzida por Streptococcus mutans. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Zavanelli AC, Panzeri H. Biocorrosão de um amálgama de prata e de uma liga à base de cobre-alumínio induzida por Streptococcus mutans. 2001 ;
    • Vancouver

      Zavanelli AC, Panzeri H. Biocorrosão de um amálgama de prata e de uma liga à base de cobre-alumínio induzida por Streptococcus mutans. 2001 ;