Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Profissionais da saúde e aids: um estudo diferencial frente a ocorrência de acidente ocupacional com material biológico potencialmente contaminado (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RISSI, MARIA ROSA RODRIGUES - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Sigla do Departamento: 594
  • Subjects: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL
  • Language: Português
  • Abstract: Os profissionais de saúde estão, por força de seu trabalho, expostos ao risco de acidente com material biológico potencialmente contaminado (MBPC). Partindo da vivência do risco e/ou episódio de exposição acidental a MBPC, este estudo visa compreender aspectos psicológicos implícitos na prática de profissionais da saúde que cuidam de pacientes portadores do HIV/Aids. Considerando a atitude como elemento afetivo/cognitivo, utilizou-se o referencial teórico-metodológico de Fishbein e Ajzen, que concebe a atitude como a conjugação de crenças e afetos associados ao objeto estudado, e tendo a motivação como um dos elementos constitutivos do trabalho, utilizou-se a teoria de Maslow, que propõe uma hierarquia das necessidades humanas. Cinquenta profissionais da saúde, que exercem suas atividades na Unidade de Tratamento de Doenças Infecciosas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP foram avaliados a partir da aplicação de um questionário de atitudes, associado a escalas do tipo Likert em 7 pontos a de um instrumento de avaliação de necessidades e motivações. Foram realizados estudos diferenciais para verificar diferenças de respostas, entre os profissionais que nunca haviam se acidentado a aqueles que já passaram pela experiência de acidente ocupacional, através do teste t e do teste de Mann-Whitney, tomando-se como critério um índice de significância igual ou superior a p<0.05. Os resultados indicam que os profissionaisda saúde que atendem pacientes portadores do HIV/Aids exercem suas atividades motivados pela necessidade de auto-realização. Estes profissionais reconhecem as demandas biológicas, psicológicas e sociais destes, e valorizam sua atuação quando são capazes de atender às necessidades emocionais destes pacientes. Valorizam também o papel do paciente no tratamento. Para profissionais que nunca se acidentaram, prevaleceu a crença de que o paciente se arrepende de ) ter se exposto ao HIV, para aqueles que já se acidentaram esta crença não ficou bem caracterizada. Para todos os profissionais, o acidente ocupacional acarreta complicações na vida pessoal e em relação aos aspectos técnicos, associam a pressa à possibilidade de ocorrência do acidente. Tais resultados indicam que estes profissionais de saúde estão disponíveis para atender tanto as necessidades clínicas, quanto as necessidades emocionais dos pacientes portadores do HIV/Aids, o que toma este atendimento diferenciado e propício ao vínculo que estes doentes precisam construir com a vida
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.06.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800025700Rissi, Maria Rosa Rodrigues
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RISSI, Maria Rosa Rodrigues; MACHADO, Alcyone Artioli. Profissionais da saúde e aids: um estudo diferencial frente a ocorrência de acidente ocupacional com material biológico potencialmente contaminado. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Rissi, M. R. R., & Machado, A. A. (2001). Profissionais da saúde e aids: um estudo diferencial frente a ocorrência de acidente ocupacional com material biológico potencialmente contaminado. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Rissi MRR, Machado AA. Profissionais da saúde e aids: um estudo diferencial frente a ocorrência de acidente ocupacional com material biológico potencialmente contaminado. 2001 ;
    • Vancouver

      Rissi MRR, Machado AA. Profissionais da saúde e aids: um estudo diferencial frente a ocorrência de acidente ocupacional com material biológico potencialmente contaminado. 2001 ;