Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Aspectos da herbivoria em área de maricultura da praia do Ítagua, Ubatuba, São Paulo (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LIMA, SYLVIA NIEMEYER PINHEIRO - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIB
  • Subjects: PEIXES; ALGICULTURA; AQUICULTURA MARINHA
  • Language: Português
  • Abstract: Os peixes herbívoros influenciam a distribuição de algas, principalmente do infra litoral em costões protegidos e estão relacionados com a redução de produtividade de algas tanto do costão como de recifes e cultivos. Entretanto, a herbivoria não é um fator ambiental frequentemente nedido nos trabalhos envolvendo cultivo em campo de espécies de interesse comercial apesar de mencionado como um fator imporante a ser considerado, sendo assim o objetivo deste trabalho foi avaliar no verão e inverno e em profundidades diferentes, predação de espécies de interesse comercial e importância ecológica em uma estrutura de maricultura afastada da influência do costão rochoso. O local de estudo compreende o sistema de cultivo em Long-Line no costão sul da praia de Itaguá, Ubatuba, São Paulo, ('23 GRAUS' 26 minutos vove segundos S, '45 GRAUS' 3 minutos W) e os experimentos foram relaizados nos períodos de junho a início de setembro de 19997 (inverno) e de dezembro de 199 a março de 1998, (verão). Mudas de Ulva fasciata, Sargassum vulgare, Hypnea musciformis e Pterocladiella capillacea doram presas à 12 cabos experimentais e 6 controles protegidas por gaiolas plásticas, em cada período, e distribuídas ao longo de 1,5 m de profundidade e espaçadas a 0,5 metros. Após 48 horas era medido o valor 'gh POT. -1' que corresponde a taxa de herbivoria da alga. S. vulgare no verão, e P. capillacea no inverno não apresentaram variações de peso significativamente diferentes dos seus controles.S. vulgare foi responsável pelas maiores taxas de herbivoria no inverno em cada uma das quatro profundidades apresentando , à 0 metros, a maior taxa média de herbivoria correspondendo a -0,448 'gh POT. -1' e média de 81,65 porcento de diminuição do peso inicial. U. fasciata foi responsável pelas maiores taxas de herbivoria no verão em cada uma das quatro profundidades apresentando à 0 metros a maior taxa média de herbivoria correspondendo a (continua) ) -0,142 'gh POT. -1 e média de 95,15 porcento de diminuição do peso inicial. A profundidade não teve efeito significativo sobre as taxas de herbivoria de uma mesma espécie em nenhum dos dois períodos. Concluímos que houve variação evidente da herbivoria entre os períodos de verão e inverno mostrando que este fator apresenta um dinamismo temporal provavelmente relacionado a outras variáveis ambientais que devem ser consideradas em estudos futuros. Peixes de grande porte ou que vivem em cardume podem consumir grandes quantidades de alga podendo influenciar negativamente ou mesmo inviabilizar o cultivo de algas bentônicas. Kyphosus incisor é uma das espécies popularmente conhecidas como pirajica, são pelágicos costeiros, essencialmente herbívoros pastejadores e formam cardumes. Foi feita uma análise do conteúdo estomacal de 12 animais coletados próximo ao sistema de cultivo em Long-Line nos costão sul da praia de Itaguá, Ubatuba, São Paulo, e costões adjacentes ('23 GRAUS' 26 minutos 9 segundo S, '45 GRAUS' 3minutos W) de maio a setembro de 1998, e calculados índices gravimétrico, de ocorrência, índice de alimentar, a transformação do índice alimentar e a classificação de cada item. Foram encontradas ao todo 18 gêneros diferentes de algas sendo 9 da Divisão Rhodophyta, 5 da Divisão Phaeophyta e 4 da Divisão Chlorophyta. Em relação ao peso médio de material encontrado nos estômagos 33, 5 porcento corresponde a Rhodophyta, 58,6 porcento a Phaeophyta e 7,1 porcento de Cholorophyta e apenas 0,8 porcento correspondem a material de origem animal. O valor do índice transformado de Sargassum sp., D. delicatula e P. capillacea correspondem a 57,25 porcento do total do índice e são portanto consideradas preferências. H. mitchelliae é classificada como secundária, as demais espécies acessórias. Os cinco itens mais importantes sa dieta apresentaram 100 porcento de frequência nos estômagos e somam sozinhos (continua) )73,24 porcento do peso médio total encontrado. O peso de Sargassum sp. correspondendo a 27 porcento do peso médio total é um forte indício da existência de preferência alimentar de K. incisor. As outras algas importantes na dieta somadas ao Sargassum sp. correspondem a mais de 73 porcento do peso médio total. A dieta encontrada indica a grande especificidade no consumo de macroalgas pois o conteúdo animal encontrado é praticamente desprezível frente a quantidade de algas e sugere uma preferência alimentar por Sargassum sp. e um potencial consumidor de algas deinteresse comercial (Hypnea musciformis e Pterocladiella capillacea)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.10.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000020193M-1029
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LIMA, Sylvia Niemeyer Pinheiro; BERCHEZ, Flávio Augusto de Souza. Aspectos da herbivoria em área de maricultura da praia do Ítagua, Ubatuba, São Paulo. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Lima, S. N. P., & Berchez, F. A. de S. (2001). Aspectos da herbivoria em área de maricultura da praia do Ítagua, Ubatuba, São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Lima SNP, Berchez FA de S. Aspectos da herbivoria em área de maricultura da praia do Ítagua, Ubatuba, São Paulo. 2001 ;
    • Vancouver

      Lima SNP, Berchez FA de S. Aspectos da herbivoria em área de maricultura da praia do Ítagua, Ubatuba, São Paulo. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: