Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influências do estado hormonal no desempenho de ratos nos testes do labirinto em T elevado e do nado forçado (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GOUVEIA JUNIOR, AMAURI - IP
  • USP Schools: IP
  • Sigla do Departamento: PSE
  • Subjects: ANÁLISE DO COMPORTAMENTO; RATOS; MODELOS ANIMAIS; ESQUIVA; LABIRINTO; ANSIEDADE; HORMÔNIOS
  • Language: Português
  • Abstract: 0 objetivo do presente trabalho foi verificar as influencias do ciclo estral de ratas em dois modelos animais de psicopatologia, o labirinto em T elevado (ansiedade) e o teste do nado forçado (desespero comportamental). No Experimento 1, foram utilizados 40 ratos Wistar, 8 machos e 32 fêmeas distribuídas em 4 grupos, conforme a fase do ciclo (metaestro, diestro, proestro e estro). Cada animal foi submetido' a uma única sessão no labirinto em T elevado, composta de 3 tentativas de esquiva inibitória (nas quais o animal era colocado no braço fechado medindo-se latência de saída) e uma de fuga (na qual o animal era colocado no braço aberto e medida a latência de entrada no braço fechado) separadas por um intervalo de 30 s. 0 ciclo estral das fêmeas foi determinado previamente, descartando-se as fêmeas com ciclo irregular. Para o Experimento 2, o teste do nado forçado, foram utilizados 62 animais, 12 machos e 40 fêmeas também: distribuídas conforme a fase do ciclo estral (metaestro = 13; diestro = 10; proestro = 9 e estro = 8). 0 aparato utilizado constitui-se de um recipiente de vidro (16 x 40 cm) preenchido com água aquecida a 28 t 2° C até 15 cm. Cada animal era submetido a duas sessões de 15 e 5 minutos, respectivamente, separadas por um intervalo de 24 h. Nos 5 min da primeira sessão e todos os 5 min da segunda foram registrados a latência do primeiro episódio de imobilidade, a imobilidade total e o numero de bolos fecais. Os dados indicaram que osmachos diferem do grupo de fêmeas em diestro quanto à aquisição tanto da esquiva inibitória no labirinto em T elevado como no total de imobilidade na primeira sessão do nado, e do grupo de fêmeas em proestro no tocante à manutenção da esquiva inibitória. 0 numero de bolos fecais variou entre as fêmeas ao longo do ciclo no nado forçado. Não ocorreram diferenças nos parâmetros latência de imobilidade no teste do nado forçado e da fuga, no labirinto em T elevado. (Continuacao) Os dados indicam que o ciclo hormonal é uma variável reguladora da aquisição de comportamentos, mas que não prejudica a aprendizagem
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 16.05.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IP12300010480T BF199.5 G719i e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GOUVEIA JÚNIOR, Amauri; MORATO, Sílvio. Influências do estado hormonal no desempenho de ratos nos testes do labirinto em T elevado e do nado forçado. 2001.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2001.
    • APA

      Gouveia Júnior, A., & Morato, S. (2001). Influências do estado hormonal no desempenho de ratos nos testes do labirinto em T elevado e do nado forçado. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Gouveia Júnior A, Morato S. Influências do estado hormonal no desempenho de ratos nos testes do labirinto em T elevado e do nado forçado. 2001 ;
    • Vancouver

      Gouveia Júnior A, Morato S. Influências do estado hormonal no desempenho de ratos nos testes do labirinto em T elevado e do nado forçado. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: