Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Perfil sorológico para sífilis em uma coorte de homens que fazem sexo com homens, 1994 a 1998, São Paulo (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SILVEIRA, EDILENE PERES REAL DA - FSP
  • USP Schools: FSP
  • Sigla do Departamento: HEP
  • Subjects: SÍFILIS (DIAGNÓSTICO)
  • Language: Português
  • Abstract: Estudo de coorte prospectivo de 1047 homens que fazem sexo com homens (HSH), inscritos no Projeto Bela Vista, o qual analisa o perfil sorológico dos testes não treponêmico e treponêmico, respectivamente VDRL e FTA-Abs, além de determinar a taxa de prevalência e incidência de sífilis neste grupo. A avaliação, feita semestralmente ("onda"), foi constituída de entrevista sociocomportamental, exame clínico direcionado para sinais e sintomas de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) e realização de testes sorológicos para sífilis, HIV-1 e Hepatite B. Para sífilis, as amostras de soro foram testadas por meio de VDRL e FTA-Abs em paralelo e a soroprevalência para sífilis foi determinada pela combinação de ambos os testes, baseada nos dados da "onda" zero. Dos 1047 voluntários, 100 (9,5%) foram soropositivos para VDRL e FTA-Abs; 72 (6,8%) apresentaram VDRL negativo e FTA-Abs positivo 9(0,8%) foram soropositivos para VDRL e soronegativos para FTA-Abs. Em 4 anos de acompanhamento, 25 voluntários apresentaram soroconversão para sífilis (2,71 casos por 100 pessoas-ano). Em 2 amostras, a reatividade no teste não treponêmico (VDRL) foi detectada antes da positividade dos anticorpos treponêmicos (FTA-Abs). Por outro lado, algumas amostras (em "onda" iniciais) entre aquelas de voluntários que soroconverteram apresentaram VDRL negativo, porém positivas no FTA-Abs. Os indivíduos apresentando esse perfil sorológico poderiam não ter sido identificados, considerando que o testetreponêmico (FTA-Abs) não é realizado em paralelo ou simultaneamente com o teste não treponêmico (VDRL) no diagnóstico da rotina laboratorial. Por conseguinte, a taxa de soroprevalência teria sido erroneamente determinada como 9,5%, ao passo que a taxa precisa deveria ter 16,4%, como estimada na presente investigação. Os dados obtidos indicam a relevância do uso de testes não treponêmicos e treponêmicos em paralelo, a fim de executar diagnóstico laboratorial de rotina para sífilis com exatidão e precisão
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 08.03.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FSP11800028844616.9513 7
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SILVEIRA, Edilene Peres Real da; SATO, Neusa Nakao. Perfil sorológico para sífilis em uma coorte de homens que fazem sexo com homens, 1994 a 1998, São Paulo. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Silveira, E. P. R. da, & Sato, N. N. (2002). Perfil sorológico para sífilis em uma coorte de homens que fazem sexo com homens, 1994 a 1998, São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Silveira EPR da, Sato NN. Perfil sorológico para sífilis em uma coorte de homens que fazem sexo com homens, 1994 a 1998, São Paulo. 2002 ;
    • Vancouver

      Silveira EPR da, Sato NN. Perfil sorológico para sífilis em uma coorte de homens que fazem sexo com homens, 1994 a 1998, São Paulo. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: