Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Acompanhamento do proestro e estro de fêmeas da raça Dogue Alemão e comparação de duas técnicas de inseminação artificial com sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SATZINGER, SANDRA - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VRA
  • Subjects: INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL ANIMAL; CADELAS; CICLO ESTRAL ANIMAL; SÊMEN ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: Vinte cadelas da raça Dogue Alemão foram acompanhadas do início do proestro até o início do diestro por meio de comportamento, citologia vaginal, vaginoscopia, dosagem de progesterona e hormônio luteinizante e inseminadas via intra-vaginal (n=10) e via intra-uterina (n=10). Os objetivos foram: determinar o período fértil, comparar as técnicas de inseminação artificial intra-vaginal e intra-uterina por laparotomia e testar a capacidade de fertilização in vivo do sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor. Nenhuma fêmea emprenhou, independente da técnica utilizada. Os sinais de receptividade apareceram do '2 GRAUS' ao '10 GRAUS' dia do proestro, com concentração média de progesterona de 1,71ng/ml, sem correspondência com a fase fértil, que no experimento mostrou valores médios entre 10,03 e 18,67ng/ml. A citologia de estro apareceu em 79% das fêmeas antes do pico de LH, com concentração de progesterona entre 0,19 e 3,09ng/ml e a lâmina de queratinização máxima ocorreu entre o '4 GRAUS' e o '12 GRAUS' dia, com dosagens de progesterona entre 0,59 e 7,98ng/ml. A vaginoscopia determinou os principais eventos do ciclo estral, tendo correlação positiva alta ('r IND. s'=0,89, p<0,01) com as concentrações de progesterona. O pico de LH ocorreu entre os dias 4 e 13 do ciclo, com níveis de progesterona entre 0,97 e 3,09ng/ml e a ovulação, por estimativa, 2 dias depois, com concentração média de progesterona de 4,42ng/ml. Concluiu-se que a citologia nãoauxiliou na determinação da fase fértil. A vaginoscopia e a dosagem de progesterona permitiram a confirmação da ovulação. A progesterona identificou as fases do ciclo estral, entretanto não foi determinado valor específico para cada evento do mesmo. A utilização conjunta das dosagens de P4 e LH foi a forma mais segura para determinar os eventos das fases de proestro e estro. Com os resultados obtidos não foi possível ) comparar as técnicas de inseminação artificial e confirmar a capacidade de fertilização do sêmen submetido à congelação com o crioprotetor citado
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.03.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300001543T.1083 FMVZ e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SATZINGER, Sandra; OLIVEIRA, Clair Motos de. Acompanhamento do proestro e estro de fêmeas da raça Dogue Alemão e comparação de duas técnicas de inseminação artificial com sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Satzinger, S., & Oliveira, C. M. de. (2002). Acompanhamento do proestro e estro de fêmeas da raça Dogue Alemão e comparação de duas técnicas de inseminação artificial com sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Satzinger S, Oliveira CM de. Acompanhamento do proestro e estro de fêmeas da raça Dogue Alemão e comparação de duas técnicas de inseminação artificial com sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor. 2002 ;
    • Vancouver

      Satzinger S, Oliveira CM de. Acompanhamento do proestro e estro de fêmeas da raça Dogue Alemão e comparação de duas técnicas de inseminação artificial com sêmen congelado utilizando o etileno glicol como crioprotetor. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: