Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Interação de fungos micorrízicos arbusculares: agentes de controle biológico e Phytophtora parasítica em limoeiro cravo (Citrus limonia) (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: AGNANI, DEISE RENATA GONZALEZ - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LET
  • Subjects: CONTROLE BIOLÓGICO; FUNGOS MICORRÍZICOS; LIMÃO; PORTA-ENXERTOS
  • Language: Português
  • Abstract: Estudos das interações de fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) e outros microrganismos da rizosfera têm documentado o efeito do FMA nas populações destes microrganismos e vice-versa. Espécies do gênero Trichoderma são usadas no controle biológico de patógenos de raiz. Este fungo produz uma série de enzimas extracelulares que degradam a parede de células fúngicas, sendo este um importante fator de biocontrole. Bactérias promotoras do crescimento de plantas, como algumas Pseudomonas do grupo fluorescente, também podem atuar no biocontrole de patógenos de raiz, produzindo substâncias antagônicas ou sideróforos. Além disso, é conhecida a importância da matéria orgânica como fator de melhoramento do solo, suprimindo patógenos do solo e da rizosfera. Uma das principais doenças de citros é a podridão de raiz causada por Phytophthora parasitica, que ocorre na sementeira. Assim, os objetivos foram estudar as interações que ocorrem na rizosfera e na planta hospedeira quando da presença concomitante de P. parasitica, FMAs e agentes de controle biológico, e, avaliar o efeito de diferentes substratos em tais interações microbianas, utilizando-se o porta-enxerto limoeiro Cravo (Citrus limonia). Com o objetivo de selecionar bactérias eficientes no controle do fungo causador de doença de raiz de citros, P. parasitica, foram realizados 3 experimentos in vitro (meio B de King, meio cenoura e sementes de trigo) e um in vivo, nos quais foram utilizados 69 isolados dePseudomonas spp. e um isolado de P. parasitica. ) Estudos das interações de fungos micorrízicos arbusculares (FMAs) e outros microrganismos da rizosfera têm documentado o efeito do FMA nas populações destes microrganismos e vice-versa. Espécies do gênero Trichoderma são usadas no controle biológico de patógenos de raiz. Este fungo produz uma série de enzimas extracelulares que degradam a parede de células fúngicas, sendo este um importante fator de biocontrole. Bactérias promotoras do crescimento de plantas, como algumas Pseudomonas do grupo fluorescente, também podem atuar no biocontrole de patógenos de raiz, produzindo substâncias antagônicas ou sideróforos. Além disso, é conhecida a importância da matéria orgânica como fator de melhoramento do solo, suprimindo patógenos do solo e da rizosfera. Uma das principais doenças de citros é a podridão de raiz causada por Phytophthora parasitica, que ocorre na sementeira. Assim, os objetivos foram estudar as interações que ocorrem na rizosfera e na planta hospedeira quando da presença concomitante de P. parasitica, FMAs e agentes de controle biológico, e, avaliar o efeito de diferentes substratos em tais interações microbianas, utilizando-se o porta-enxerto limoeiro Cravo (Citrus limonia). Com o objetivo de selecionar bactérias eficientes no controle do fungo causador de doença de raiz de citros, P. parasitica, foram realizados 3 experimentos in vitro (meio B de King, meio cenoura e sementes de trigo) e um in vivo, nos quaisforam utilizados 69 isolados de Pseudomonas spp. e um isolado de P. parasitica. ) No segundo experimento de interação, o crescimento da planta foi favorecido pela inoculação do FMA e pelos agentes de controle biológico inoculados anterior ou concomitante ao FMA, observando-se que estes antagonistas não afetaram a colonização radicular. Houve tendência de controle da doença nos tratamentos 1o Tri/GE, 1o GI/Tri, GI+Tri, 1o GI/Bac e somente Trichoderma e Bacillus. No último experimento realizado o crescimento das plantas colonizadas por G. intraradices e GI+ Tri, tanto na ausência como na presença de Phytophthora, foi significativamente maior, nos três substratos empregados. As plantas micorrizadas, tanto na presença quanto na ausência de Trichoderma, controlaram P. parasitica
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.04.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500022568t634.334 A271i ex.2 79418
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      AGNANI, Deise Renata Gonzalez; SILVEIRA, Adriana Parada Dias da. Interação de fungos micorrízicos arbusculares: agentes de controle biológico e Phytophtora parasítica em limoeiro cravo (Citrus limonia). 2002.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002.
    • APA

      Agnani, D. R. G., & Silveira, A. P. D. da. (2002). Interação de fungos micorrízicos arbusculares: agentes de controle biológico e Phytophtora parasítica em limoeiro cravo (Citrus limonia). Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Agnani DRG, Silveira APD da. Interação de fungos micorrízicos arbusculares: agentes de controle biológico e Phytophtora parasítica em limoeiro cravo (Citrus limonia). 2002 ;
    • Vancouver

      Agnani DRG, Silveira APD da. Interação de fungos micorrízicos arbusculares: agentes de controle biológico e Phytophtora parasítica em limoeiro cravo (Citrus limonia). 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: