Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estimação da magnitude da linguagem da dor pós-operatória (2001)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PEREIRA, LILIAN VARANDA - EERP
  • USP Schools: EERP
  • Sigla do Departamento: ERG
  • Subjects: DOR (DESCRIÇÃO)
  • Language: Português
  • Abstract: Avaliar os descritores do Instrumento de Descritores de Dor (IDD), através de métodos psicofísicos diretos constituiu-se no principal objetivo deste estudo. Foram desenvolvidos os quatro experimentos. No Experimento 1, participaram 300 enfermeiros, com idades entre 22 e 52 anos, 92% do sexo feminino, cuja tarefa foi avaliar 3.19 descritores, pelo método de Estimação de Magnitude. No Experimento 2, participaram 30 enfermeiros, com idades entre 21 e 55 anos, 83,3% do sexo feminino, os quais julgaram 15 descritores através do método de Emparelhamento Intermodal, utilizando modalidades de respostas de comprimento de linhas e de números. No Experimento 3, participaram 48 pacientes pós-operados, com idades entre 34 e 70 anos, 60,4% do sexo masculino, os quais desempenharam a tarefa de julgar 20 descritores selecionados no Experimento 1, pelo método de Estimação de Magnitude, com o propósito de selecionar os de maior e os de menor atribuição na descrição da dor pós-operatória. No Experimento 4, participaram 61 médicos, com idades entre 24 e 63 anos, os quais categorizaram 20 descritores, considerando o grau de atribuição dos mesmos, na descrição das qualidades sensoriais, afetivas e avaliativas da dor. Os resultados mostraram que os descritores de maior atribuição na descrição da dor pós-operatória foram: terrível, insuportável, enlouquecedora, profunda e tremenda e os de menor atribuição foram: insignificante, leve, breve, pequena e amena. Dentre os 20descritores julgados pelos pacientes - terrível, forte, insuportável, intensa e violenta foram os de maior atribuição e os de menor atribuição foram: colossal, esmagadora, fulminante, que cega e dilacerante. A categorização dos descritores mostrou que os de maior atribuição na descrição das qualidades sensoriais da dor foram: dilacerante, profunda, intensa, fulminante e forte ; das qualidades afetivas foram : terrível, monstruosa, ) aniquiladora, enlouquecedora, alucinante, que cega, pavorosa, desumana, esmagadora e desesperadora; e das qualidades avaliativas: violenta, colossal, brutal, insuportável e tremenda. Os resultados mostraram que a escala de razão de descritores de dor é váiida, estável e consistente, sendo n=0,96 e r2=0,92. Os descritores de maior atribuição na descrição da dor pós-operatória são aqueles que representam elevada intensidade de dor e descrevem, em sua maioria, qualidades afetivas dessa experiência
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.12.2001

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200006435T2075
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PEREIRA, Lilian Varanda; SOUSA, Fátima Aparecida Emm Faleiros. Estimação da magnitude da linguagem da dor pós-operatória. 2001.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2001.
    • APA

      Pereira, L. V., & Sousa, F. A. E. F. (2001). Estimação da magnitude da linguagem da dor pós-operatória. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Pereira LV, Sousa FAEF. Estimação da magnitude da linguagem da dor pós-operatória. 2001 ;
    • Vancouver

      Pereira LV, Sousa FAEF. Estimação da magnitude da linguagem da dor pós-operatória. 2001 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: