Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Minimização da formação de trihalometanos no tratamento de águas de abastecimento (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: OLIVEIRA, ADRIANA CRISTINA DE - EP
  • USP Schools: EP
  • Sigla do Departamento: PHD
  • Subjects: TRATAMENTO DE ÁGUA
  • Language: Português
  • Abstract: A formação de trihalometanos (THMs) em águas de abastecimento é o resultado da reação entre o cloro livre e a matéria orgânica natural, presente em águas superficiais. Esta matéria orgânica é geralmente chamada de "precursores de THMs". Os THMs mais comumente encontrados são quatro compostos clorados e bromados: clorofórmio (CH'Cl IND. 3'), bromodiclorometano (CHBr'Cl IND. 2'), dibromoclorometano (CH'Br IND. 2'Cl) e bromofórmio (CH'Br IND. 3'). O método do sistema de distribuição simulado foi utilizado para estimar a quantidade de trihalometanos (THMs) que pode ser formada em um sistema de distribuição real. Neste trabalho foram conduzidos ensaios de jar-test para simular o tratamento convencional utilizado na Estação de Tratamento de Água do Alto da Boa Vista (ETA - ABV). Os parâmetros para o método foram escolhidos para similar as condições da estação de tratamento e o sistema de distribuição. Duas estratégias para minimização da formação de THMs foram avaliadas: (1) mudança do ponto de aplicação do desinfetante após a clarificação com coagulação intensificada para aumentar a remoção de precursores de THMs antes da adição do desinfetante ou então, interromper a pré-cloração e usar um pré-oxidante alternativo, como o permanganato de potássio e (2) controlar o pH de coagulação. O período de incubação foi escolhido de modo a representar o tempo de detenção típico no sistema de distribuição (24 horas) e os THMs foram quantificados 24 horas após a realização dojar-test. Clorofórmio e bromodiclorometano foram formados em todas as amostras de jar-test e dibromoclorometano e bromofórmio não foram detectados em nenhuma das amostras. ) Os resultados indicam que é possível minimizar a formação de trihalometanos através de coagulação com cloreto férrico como coagulante, somente sob condições muito específicas de pH. Uma redução do pH de coagulação para a faixa de 5,5 a 6,5 resultou na redução da concentração de THMs na água final. A eliminação da pré-cloração foi uma estratégia efetiva na redução de THMs. Já o pré-tratamento com permanganato seguido por coagulação com cloreto férrico não melhorou a minimização de THMs. A maior vantagem do uso de permanganato é que ele não produz THMs. Além disso, o permanganato não alterou a formação de THMs de modo que diferenças entre o tratamento com permanganato de potássio para dosagens até 2,0 mg/L e sem pré-cloração pudessem ser detectadas. Assim, o permanganato de potássio, por si só, não pode ser considerado uma opção viável para controle de THMs, tendo em vista a modesta redução de THMs demonstrada nesta pesquisa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 19.04.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPEC31400019623FD-3091
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      OLIVEIRA, Adriana Cristina de; FERREIRA FILHO, Sidney Seckler. Minimização da formação de trihalometanos no tratamento de águas de abastecimento. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Oliveira, A. C. de, & Ferreira Filho, S. S. (2002). Minimização da formação de trihalometanos no tratamento de águas de abastecimento. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Oliveira AC de, Ferreira Filho SS. Minimização da formação de trihalometanos no tratamento de águas de abastecimento. 2002 ;
    • Vancouver

      Oliveira AC de, Ferreira Filho SS. Minimização da formação de trihalometanos no tratamento de águas de abastecimento. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: