Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Clonidina como coadjuvante em cirurgia oftalmológica: comparação entre a administração peribulbar e oral (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BARIONI, MARTA FABIANE GOUVÊA - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RAL
  • Subjects: OFTALMOLOGIA (CIRURGIA)
  • Language: Português
  • Abstract: O propósito deste estudo foi determinar se a administração de clonidina por via oral ou peribulbar, acentua a analgesia e a anestesia na cirurgia oftalmológica. 60 pacientes foram distribuídos em quatro grupos, e premedicados por via oral com 2 ml de clonidina ou placebo. O bloqueio peribulbar consistiu de anestesia local, mais 1 ml da solução teste. O grupo controle recebeu solução salina via oral como premedicação e solução teste peribulbar. O grupo da clonidina ocular, recebeu solução salina via oral a 30 ug de clonidina peribulbar. O grupo da clonidina oral, recebeu 150 ug de clonidina oral e solução saliva peribulbar . O grupo da clonidina oral 'mais' peribulbar, recebeu 75 ug de clonidina via oral e 15 ug de clonidina peribulbar. A assistência durante a cirurgia incluia a anestesia, analgesia dosagens de cortisol e catecolaminas plasmáticas, e os efeitos adversos. Os grupos foram similares. O tempo de latência do bloqueio peribulbar foi mais curto no grupo da clonidina ocular, que no grupo controle. O grupo controle apresentou níveis de hipertensão arterial maiores, quando comparados a outros grupos. O uso de analgésicos pela primeira vez, foi mais tardia nos pacientes que receberam clonidina peribuibar, quando comparados ao grupo controle. Os analgésicos usados pelo grupo da clonidina ocular, foram em menor quantidade que no grupo controle. No intra-operatório, o cortisol sanguíneo ficou levemente aumentado em todos os grupos, quando comparados como pré-operatório. Implicações: contudo o alto nível do cortisol sanguíneo no pré-operatório, 30 ug de clonidina peribulbar diminuía o tempo de anestesia, e 15 a 30 ug clonidina peribulbar, tornava mais tardia a solicitação de analgésicos, e também diminuía os efeitos adversos. De modo oposto a administragao solitária de clonidina via oral, não acentuou a anestesia durante o bloqueio ocular, sugerindo um mecanismo local de ação da clonidina
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 01.02.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200035517Barioni, Marta Fabiane Gouva
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BARIONI, Marta Fabiane Gouvêa; LAURETTI FILHO, Gabriela Rocha. Clonidina como coadjuvante em cirurgia oftalmológica: comparação entre a administração peribulbar e oral. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Barioni, M. F. G., & Lauretti Filho, G. R. (2002). Clonidina como coadjuvante em cirurgia oftalmológica: comparação entre a administração peribulbar e oral. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Barioni MFG, Lauretti Filho GR. Clonidina como coadjuvante em cirurgia oftalmológica: comparação entre a administração peribulbar e oral. 2002 ;
    • Vancouver

      Barioni MFG, Lauretti Filho GR. Clonidina como coadjuvante em cirurgia oftalmológica: comparação entre a administração peribulbar e oral. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: