Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Veneridae) (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GARCIA, HUGO ENRIQUE MENDEZ - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: MOLLUSCA; SISTEMA DIGESTÓRIO
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho, realizou-se um estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Bivalve) do ponto de vista anatômico, histológico e ultra-estrutural, utilizando-se microscopia de luz, eletrônica de transmissão e de varredura. Foram estudadas, ainda, as alterações histológicas e ultra-estruturais sofridas pelas células acinares da glândula digestiva ao longo do ciclo digestivo. Anatomicamente, o sistema digestivo de T. mactroides é constituído por uma boca, seguida por um esôfago que se comunica com o estômago que apresenta aspecto globular. Internamente, este órgão possui uma tiflossole que o divide numa porção superior ou dorsal, e outra inferior ou ventral. Desta maneira, o estômago apresenta uma divisão que origina o saco do estilete e o sulco intestinal, este último, contínuo com o intstino. Após a saida do estômago, o intestino sofre espiralização de, aproximadamente, três voltas, desembocando na papila anal. Do ponto de vista histológico e ultra estrutural, o epitélio de revestimento do trato digestivo é constituído por um epitélio cilíndrico simples, cujas células apresentam, na membrana plasmática apical, especialização na forma de cílios e microvilosidades. Tais especializações são observadas ao longo de todo o trato digestivo, com exceção, do estômago na região do escudo gástrico, onde as células produzem querantina para a formação desta estrutura. A presença de microvilosidades conspícuas indica uma grande capacidadeabsortiva de todo epitélio. Nas membranas plasmáticas laterais de células adjacentes, nota-se a presença de especializações juncionais na forma de desmossomos, junto ao ápice, seguidos por junções septadas. No esôfago e no intestino observam-se abundantes células secretoras. A secreção destas células é constituída, principalmente, por glicoproteínas ácidas. No intestino, particularmente na região posterior, foi notada a ocorrência de um provável mecanismo de secreção do tipo microapócrino, além de merócrino. A glândula digestiva é um órgão de aspecto arborescente, constituída por numerosos ácinos em fundo cego, que se comunicam com o estômago por um sistema ramificado de ductos: os ductos primários, que apresentam dobramentos do epitélio, exibem células cilíndricas com cílios e microvilosidades na superfície apical, e os ductos secundários, cujas células, de aspecto cúbico, possuem unicamente microvilosidades. Este órgão é o sítio de absorção de nutrientes e digestão intracelular e, também, uma fonte de enzimas digestivas. Os ácinos da glândula digestiva são constituídos por duas populações celulares. A primeira é constituída por células cilíndricas, com microvilosidades na membrana plasmática apical, denominadas de células digestivas, e são responsáveis pela digestão intracelular, além da produção de diversas enzimas digestivas. A segunda população é constituída por células de aspecto piramidal, encontradas na cripta dos ácinos, e são denominadasde células basófilas ou secretoras. Apresentam microvilosidades apicais e, ocasionalmente, cílios. Além destas células, foi detectada a presença de um terceiro tipo celular, com características peculiares, conhecidas, na literatura, por células indiferenciadas basófilas. Quanto ao mecanismo de secreção, a glândula digestiva comporta-se como uma glândula exócrina secretando de forma merócrina, apócrina e holócrina. As células digestivas do epitélio acinar de T. mactroides sofrem modificações morfofuncionais importantes que resultam da atividade digestiva relacionada à prsença ou ausência de alimento, decorrente do ciclo de maré. Estas modificações são denominadas fases, reconhecendo-se, nesta espécie, cinco fases distintas: fase de espera, de absorção, de digestão, de fragmentação e de reconstituição. A análise morfofuncional da glândula digestiva ao longo do ciclo de maré, levou à constatação da ocorrência simultânea de duas fases digestivas bem distintas. Este fato, juntamente com a existência de uma fase de fragmentação, típica, caracteriza um cíclo de digestão do tipo difásico
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.05.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000020577D-922
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA, Hugo Enrique Méndez; RIBEIRO, Alberto de Freitas. Estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Veneridae). 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Garcia, H. E. M., & Ribeiro, A. de F. (2002). Estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Veneridae). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Garcia HEM, Ribeiro A de F. Estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Veneridae). 2002 ;
    • Vancouver

      Garcia HEM, Ribeiro A de F. Estudo morfofuncional do sistema digestivo de Tivela mactroides (Mollusca, Veneridae). 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: