Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Comportamento do glifosato no solo e deslocamento miscível de atrazina (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: PRATA, FABIO - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Sigla do Departamento: LSN
  • Subjects: ADSORÇÃO; HERBICIDAS; ISÓTOPOS; QUÍMICA DO SOLO
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo desse trabalho foi estudar o comportamento do herbicida glifosato em solos sob diferentes aspectos e o deslocamento miscível da atrazina, empregando a modelagem matemática na determinação de parâmetros de sorção e transporte. Para tal, foram conduzidos vários experimentos com o glifosato, no Laboratório de Ecotoxicologia do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP), sendo os ensaios referentes a atrazina conduzidos no Forchungszentrum Jülich, Jülich, Alemanha. No primeiro capítulo foi avaliada a influência da matéria orgânica na sorção e dessorção do glifosato em três solos brasileiros com diferentes atributos mineralógicos. A base deste estudo foi o estudo de isotermas de sorção, pela técnica "batch", em amostras de solo com e sem oxidação da matéria orgânica. No segundo capítulo, foi verificada a extensão do efeito de níveis crescentes de fósforo no solo na sorção e dessorção do glifosato. No capítulo terceiro, foi estudado o comportamento do glifosato num caso especial: um solo mantido há 23 anos sob plantio direto ou plantio convencional. Para tanto, foram conduzidos 4 experimentos, nos quais foram verificados a mineralização e a formação de resíduo-ligado, a cinética de sorção e dessorção, a sorção/dessorção e a fitodisponibilidade do glifosato, através de um teste biológico. No último capítulo estudou-se o deslocamento miscível da atrazina em colunas deformadas de solo, empregando-se estudo de traçador (Br-) e modelagem matemática paraa determinação de parâmetros de sorção e de transporte do herbicida. Aos resultados de deslocamento do traçador foi aplicado o modelo de transporte baseado na equação de convecção-dispersão, considerando o equilíbrio de sorção. Para o deslocamento da atrazina foi utilizado o modelo matemático "two-site", também baseado na equação de convecção-dispersão, entretanto, considerando o não-equilíbrio químico de sorção. ) Neste capítulo também foi avaliada a sorção/dessorção da atrazina pela técnica "batch". Optou-se por utilizar a atrazina no estudo de deslocamento miscível e não o glifosato, pelo fato do segundo não apresentar potencial de mobilidade vertical no solo. Concluiu-se que a sorção do glifosato é instantânea, extremamente elevada e está relacionada, principalmente, a fração mineral do solo, sendo que a matéria orgânica desempenha papel secundário no caso de solos oxídicos. O glifosato compete com os fosfatos inorgânicos pelos sítios de sorção no solo, entretanto, esta competição somente passa a ser importante para níveis de P extremamente elevados, os quais não são atingidos em condições reais de campo. O glifosato não pode ser extraído do solo em condições normais de solos agricultáveis, permanecendo na forma de resíduo-ligado. O sistema de plantio direto pode contribuir com a aceleração da mineralização do glifosato no solo, todavia, sua meia-vida é baixa e está relacionada à formação de resíduo-ligado, não tendo apresentado problemas de fitotoxidez nostestes realizados. Com relação ao deslocamento da atrazina, concluiu-se que a molécula apresenta potencial de lixiviação no solo, sendo que este potencial é dependente da sorção nos sítios em equilíbrio e em não-equilíbrio com a solução do solo. No entanto, a sorção irreversível foi mais importante que a sorção "reversível" em ambos os sítios em equilíbrio e não-equilíbrio. Os modelos de transporte foram ajustados com sucesso aos dados de deslocamento miscível do traçador e da atrazina. Todavia, o modelo "two-site" superestimou a sorção irreversível (formação de resíduo-ligado), para a concentração residente na coluna. O modelo de transporte "two-site", ajustado aos dados de deslocamento miscível da atrazina, previu coeficientes de sorção linear semelhantes aos gerados pelo método "batch", o que não foi verdade para a dessorção
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 06.09.2002
  • Acesso online ao documento

    Online access or search this record in

    Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500024238t632.954 P912c e.2 79934
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      PRATA, Fábio; LAVORENTI, Arquimedes. Comportamento do glifosato no solo e deslocamento miscível de atrazina. 2002.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2002. Disponível em: < http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11140/tde-05022003-111013/ >.
    • APA

      Prata, F., & Lavorenti, A. (2002). Comportamento do glifosato no solo e deslocamento miscível de atrazina. Universidade de São Paulo, Piracicaba. Recuperado de http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11140/tde-05022003-111013/
    • NLM

      Prata F, Lavorenti A. Comportamento do glifosato no solo e deslocamento miscível de atrazina [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11140/tde-05022003-111013/
    • Vancouver

      Prata F, Lavorenti A. Comportamento do glifosato no solo e deslocamento miscível de atrazina [Internet]. 2002 ;Available from: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/11/11140/tde-05022003-111013/

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: