Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal-imunológico em crianças com síndrome nefrótica idiopática (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CARLOTTI, ANA PAULA DE CARVALHO PANZERI - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RPP
  • Subjects: PEDIATRIA; NEFROPATIAS
  • Language: Português
  • Abstract: OBJETIVOS: Estudar o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA)-imunológico, pela avaliação da secreção basal de cortisol, da expressão de receptores de glicocorticóides (GC) a do padrão de secreção de citocinas T helper (Th)1 a Th2 em crianças com síndrome nefrótica idiopática. Avaliar o padrão de supressão mediada pela dexametasona da proliferação de células mononucleares do sangue periférico estimuladas pela concanavalina-A (Con-A), para classificar os pacientes com síndrome nefrótica idiopática pelo teste in vitro em córtico-sensíveis (CS) a córtico-resistentes (CR). Avaliar o papel das citocinas no mecanismo de córtico-resistência, pelo estudo do efeito de diferentes doses de dexametasona na secreção de citocinas pelas células mononucleares estimuladas pela Con-A. MÉTODOS: Sangue e saliva foram coletados entre 8:00 e 9:00 horas de 10 crianças saudáveis e 20 pacientes com síndrome nefrótica idiopática em recaída. As concentrações séricas e salivares de cortisol foram dosadas por radioimunoensaio. As células mononucleares do sangue periférico foram isoladas para o estudo da ligação hormonal e cultivadas para avaliação da sensibilidade in vitro aos GC. A proliferação das células mononucleares do sangue periférico sob condições basais, após estímulo com Con-A e o efeito inibitório de diferentes doses de dexametasona ('10 POT. -1', '10 POT. -6', '10 POT. -4' M) foram avaliados. Os pacientes haviam sido previamente classificados de acordo com a resposta clínicaà corticoterapia (CS = 17; CR = 3). A concentração inibitória '(IC) IND. 50' foi definida como a concentração de dexametasona que causou uma inibição de 50% da proliferação celular. Indivíduos com 'IC IND. 50' > '10 POT. -6' M foram considerados córticoresistentes. Os sobrenadantes foram coletados para dosagem das citocinas (IL-6, IL-10, TNF-'alfa' e IFN-'gama') por ELISA. RESULTADOS: Foram observadas menores concentrações séricas de cortisol em pacientes ) com síndrome nefrótica idiopática, mas as concentrações salivares, que refletem a fração livre e biologicamente ativa do hormônio, foram similares nos pacientes e nos controles. O número e a afinidade de ligação dos receptores de GC em células mononucleares do sangue periférico foram semelhantes nos pacientes CS e indivíduos normais. Em um paciente CR, foram observados aumento do número e diminuição da afinidade de ligação dos receptores de GC. Após estímulo com Con-A, houve aumento da proliferação de células mononucleares do sangue periférico e inibição dose-dependente pela dexametasona em ambos os grupos. Todos os indivíduos controles e todos os pacientes clinicamente CS foram córtico-sensíveis pelo teste in vitro. Houve diferença significativa na porcentagem de supressão da proliferação in vitro entre o grupo controle a dos pacientes CS com baixas doses de dexametasona ('10 POT. -8' M), indicando uma alteração da sensibilidade aos GC, mesmo em pacientes com síndrome nefrótica idiopática CS.As concentrações basais e após estímulo pela Con-A de IL-6, IL-10, IFN-'gama' e TFN-'alfa', foram similares nos indivíduos controles e pacientes com síndrome nefrótica idiopática. A secreção de IL-6, IFN-'gama' e TNF-'alfa' foi inibida por dexametasona '10 POT. -8' M no grupo controle e nos pacientes CS. Entretanto, no grupo controle, a secreção de IL-10 foi somente inibida por dexametasona '10 POT. -6' M. Nos pacientes CR, as concentrações de citocinas permaneceram elevadas mesmo após o tratamento com altas doses de dexametasona. CONCLUSÕES: Há uma alteração da sensibilidade aos glicocorticóides em pacientes com síndrome nefrótica idiopática, o que poderia comprometer a influência do cortisol endógeno sobre o sistema imune, levando ao desequilíbrio do eixo HHA-imunológico na síndrome nefrótica idiopática. Anormalidades da expressão dos receptores de glicocorticóides e a secreção alterada de citocinas ) podem desempenhar um papel na resistência aos GC na síndrome nefrótica idiopática. Outros fatores podem também influenciar a resposta à corticoterapia na síndrome nefrótica idiopática
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 29.04.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200056523Carlotti, Ana Paula de Carvalho Panzeri
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARLOTTI, Ana Paula de Carvalho Panzeri; FRANCO, Paulo Benedito. Avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal-imunológico em crianças com síndrome nefrótica idiopática. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Carlotti, A. P. de C. P., & Franco, P. B. (2002). Avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal-imunológico em crianças com síndrome nefrótica idiopática. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Carlotti AP de CP, Franco PB. Avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal-imunológico em crianças com síndrome nefrótica idiopática. 2002 ;
    • Vancouver

      Carlotti AP de CP, Franco PB. Avaliação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal-imunológico em crianças com síndrome nefrótica idiopática. 2002 ;