Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo da oxidação eletroquímica de álcoois sobre eletrodo de platina utilizando a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BERGAMASKI, KLEBER - IQSC
  • USP Schools: IQSC
  • Subjects: ELETROQUÍMICA
  • Language: Português
  • Abstract: Neste trabalho foi estudada a eletro-oxidação dos álcoois metanol, etanol e n-propanol sobre eletrodos de Pt eletrodepositada e, no caso do etanol, também sobre um eletrodo binário 'Pt IND.75''Rh IND.25' eletrodepositado. Os produtos gasosos e voláteis da reação de oxidação dos álcoois foram monitorados utilizando-se a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial (DEMS). Os resultados da oxidação de metanol mostram que a baixas concentrações do álcool, praticamente somente C'O IND.2' é produzido, enquanto que a altas concentrações do metanol, além do C'O IND.2', formiato de metila também é produzido. Os experimentos de oxidação de metanol marcado isotopicamente com uma sub-monocamada de CO adsorvido à superfície do eletrodo mostraram que a detecção do formiato de metila por si só não comprova a existência do mecanismo de reação paralelo, via intermediários dissolvidos, como reportado na literatura. Os resultados mostraram que o produto formiato de metila pode ser obtido a partir da reação entre o CO adsorvido à superfície do eletrodo e o grupo metil, proveniente do metanol. No caso da oxidação do etanol, os experimentos mostraram que o aumento da concentração do álcool diminui o rendimento da oxidação completa a C'O IND.2'. Isso foi observado em ambos os eletrodos utilizados na oxidação do etanol. Entretanto, o eletrodo bimetálico 'Pt IND.75''Rh IND.25', apresentou-se muito mais seletivo a produção de C'O IND.2' do que o de Pt pura. A razão deintesidade de massa C'O IND.2'/acetaldeído é sempre maior para o eletrodo bimetálico. Até mesmo na concentração de 1,0M, esta razão é três vezes maior na liga do que na Pt pura. Os resultados da eletro-oxidação do n-propanol mostraram a produção de C'O IND.2', resultante da clivagem total das ligações C-C, e de propanal, resultante da clivagem das ligações dos dois átomos de hidrogênio ligados ao carbono 'ALFA'. Ou seja, o n-propanol oxida-se com ) e sem quebra das ligações C-C. Estes resultados sugerem que o propanol deve seguir duas vias de reação paralelas. Os intermediários na rota do C'O IND.2' estariam adsorvidos fortemente, sendo necessária uma alta energia de ativação na oxidação dos mesmos da superfície. Enquanto que na rota do aldeído, os intermediários estariam fracamente adsorvidos à superfície do eletrodo
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.03.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IQSC30800013162T1362
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BERGAMASKI, Kleber; NART, Francisco Carlos. Estudo da oxidação eletroquímica de álcoois sobre eletrodo de platina utilizando a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial. 2002.Universidade de São Paulo, São Carlos, 2002.
    • APA

      Bergamaski, K., & Nart, F. C. (2002). Estudo da oxidação eletroquímica de álcoois sobre eletrodo de platina utilizando a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial. Universidade de São Paulo, São Carlos.
    • NLM

      Bergamaski K, Nart FC. Estudo da oxidação eletroquímica de álcoois sobre eletrodo de platina utilizando a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial. 2002 ;
    • Vancouver

      Bergamaski K, Nart FC. Estudo da oxidação eletroquímica de álcoois sobre eletrodo de platina utilizando a técnica de espectrometria de massas eletroquímica diferencial. 2002 ;