Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Distribuição espaço-temporal do boto Sotalia guianensis Van Bénéden 1964 (Cetacea, Delphinidae) na região de Cananéia, sul do estado de São Paulo (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: ROLLO JUNIOR, MARIO MANOEL - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIZ
  • Subjects: CETACEA
  • Language: Português
  • Abstract: A região estuarini-lagunar de Cananéia foi utilizada como base para um projeto de dois anos, que teve como objetivo desenvolver um modelo que possibilitasse prever os fatores condicionantes da distribuição do boto Sotalia guianensis. Tal modelo, se aplicado em áreas ecologicamente semelhantes mas sujeitas a um maior impacto, poderá ser importante referência na elaboração de propostas de manejo e conservação. A primeira parte desse projeto teve por objetivo obter estimativas de abundância e distribuição da espécie, utilizando técnicas convencionais de transecção linear, mas empregando um desenho amostral inédito. Buscou-se inicialmente estratificar a análise por setor, a despeito da relativa homogeneidade de hábitats. Deste modo, 98 linhas de transecção em quatorze sub-áreas foram amostradas 1106 vezes, entre os meses de março de 1999 e fevereiro de 2000. No ano seguinte, foram 119 linhas amostradas 1963 vezes. O esforço não foi uniforme entre áreas, pois algumas delas apresentaram maior probabilidade de encontro de grupos, tendo sido então amostradas um maior número de vezes. O número máximo de grupos e indivíduos observados durante o estudo foi de 289 e 1095, respectivamente. O tamanho dos grupos variou entre 1 e 12 animais ('qui'=2.59; s=1.33). Para todas as observações combinadas, estimou-se a largura efetiva de meia faixa (ESW) como 117.47 m (IC 95%=131.92-104.60; CV=0.058). O 'eta' extremamente baixo ou nulo em alguns setores resultou em super-estimativasde abundância e densidade locais, mas que foram relativamente acuradas para a região como um todo (N=118; CV=23.14). O exame do histograma de distãncia perpendiculares para o melhor modelo revelou uma ligeira tendência à movimentação evasiva dos animais, muito embora isto não tenha sido notado no campo. Os resultados sugerem que os métodos aplicados modelaram adequadamente o efeito do movimento responsivo (em cada unidade amostral), mas não o geográfico (de larga escala). Para futuros estudos, propõe-se um sistema amostral de estratificação hierárquica, baseada em co-variáveis como o período do dia e que permita modelar adequadamente a taxa de encontro, produzindo estimativas locais mais precisas. Uma classe especial de modelos lineares generalizados de regressão (MLGs), os modelos de Quase-verossimilhança, permite calcular relações de regressão sem saber a distribuição de erro da variável de resposta. Essencialmente, são incorporadas funções de ligação e variância ao modelo convencional e utilizadas na estimação dos coeficientes de regressão. Embora as funções de ligação e variância estejam tipicamente associadas com uma probabilidade teórica, esta probabilidade não precisa ser especificada e um número menor de suposições é feita na inferência e estimação estatísticas. Este modelo foi aplicado sobre os resultados das estimativas de densidade de botos Sotalia guianensis na região de Cananéia para avaliar sua associação com um conjuntolimitado de variáveis ambientais e espaço-temporais. Demonstrou-se que a densidade de botos Sotalia guianensis na região estuarino-lagunar de Cananéia está associada a fatores ambientais que caracterizam seu entorno. Neste estudo, oservei que a densidade média de botos por quilômetro quadrado aumenta em regiões mais profundas e com a temperatura da superfície da água mais baixa. O modelo gerado incorporou as variáveis temperatura da superfície da água, profundidade e subdivisão da área de estudo, mas não foi sensíveis à avaliação de associações significativas da densidade com a salinidade e com o período do dia. A região do canal de Trapandé apresentou maior densidade média de botos do que as regiões dos mares de Cananéia e de Cubatão, onde estas densidades parecem semelhantes. De uma forma mais geral e baseado na análise exploratória dos dados, observei também que a região do canal de Trapandé está associada às mais altas salinidades da superfície da água, e que o número de animais observados é maior no período da manhã. Pude também concluir que a estimativa de densidade, fundamentada no método da amostragem de distâncias e diferentes funções de probabilidade de detecção de animais, parece pouco sensiveis quando a contagem dos animais observados é pequena. Dados coletados originalmente para estimar a densidade e abundância de botos Sotalia guianensis coletados em um período de dois anos na região de Cananéia foram submetidos aferramentas de análise espacial presentes em sistemas de Informação Geográfica (SIG). Esta abordagem não é trivial, pois dados desse tipo tendem a se apresentar mais dispersos espacialmente do que aqueles obtidos por estudos de uso de hábitat. Além disso, as informações ambientais coletadas simultaneamente às observações poderão apresentar o mesmo caráter, que será potencializado se estivermos lidando com regiões costerias e/ou estuatinas, onde não é possível o tratamento de dados ambientais coletados continuamente em mesoescala. Neste trabalho, o enfoque foi dado àquelas variáveis que apresentam significância estatística de associação com as estimativas de densidade obtidas e baseado em uma análise com um modelo especial de regressão. Verificou-se que o padrão de agregação dos animais variou significativamente ao longo do dia e entre os dois anos considerados. Demonstrou-se que existem áreas preferenciais de concentração de botos e que estão associadas principalmente ao perfil de profundidade e declividade relativa
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 22.08.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000020700D-928
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      ROLLO JUNIOR, Mario Manoel; VIVO, Mário de. Distribuição espaço-temporal do boto Sotalia guianensis Van Bénéden 1964 (Cetacea, Delphinidae) na região de Cananéia, sul do estado de São Paulo. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Rollo Junior, M. M., & Vivo, M. de. (2002). Distribuição espaço-temporal do boto Sotalia guianensis Van Bénéden 1964 (Cetacea, Delphinidae) na região de Cananéia, sul do estado de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Rollo Junior MM, Vivo M de. Distribuição espaço-temporal do boto Sotalia guianensis Van Bénéden 1964 (Cetacea, Delphinidae) na região de Cananéia, sul do estado de São Paulo. 2002 ;
    • Vancouver

      Rollo Junior MM, Vivo M de. Distribuição espaço-temporal do boto Sotalia guianensis Van Bénéden 1964 (Cetacea, Delphinidae) na região de Cananéia, sul do estado de São Paulo. 2002 ;