Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo sobre a variabilidade genética da espécie Helix aspersa (Muller 1774) em algumas amostras populacionais no Brasil (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: VASCONCELLOS, BRENO DE FARIA E - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Sigla do Departamento: RGE
  • Subjects: GENÉTICA ANIMAL
  • Language: Português
  • Abstract: Com o objetivo de descrever alguns marcadores isoenzimáticos em Helix aspersa e realizar uma estimativa da variabilidade genética em algumas subpopulações no Brasil, foram estudadas por meio de eletroforese em gel de amido sete enzimas e oito locos, em vinte amostras contendo; no mínimo, trinta indivíduos adultos e saudáveis, obtidas em diferentes criatórios comerciais e científicos do estado do Rio de Janeiro (dezessete amostras), do estado de São Paulo (duas amostras)e do estado de Santa Catarina (uma amostra). Foi observado polimorfismo nos locos do LAP, da 6-PGD, do PEP 2, do PEP 1 e da MDH, com três alelos nos três primeiros locos e dois nos demais. Os locos do ME, da SOD e da PGI se apresentaram monomórficos.Das vinte amostras analisadas, apenas sete tiveram uma probabilidade de ajuste ao modelo de equilíbrio de Hardy-Weinberg igual ou superior a 95 % e, dos treze que não se ajustaram a este modelo, seis se ajustaram o modelo de equilibrio de Wright. Estes resultados indicam que as subpopulações de onde estas amostras foram obtidas estão submetidas a diferentes regimes reprodutivos. Apesar de terem sido observados valores altos de índices médios de fixação intra loco, o índice médio de fixação dentro das subpopulações (Fis) e o índice médio de fixação em relação a todas as subpopulações (Fit) foram não significativos. O índice médio de fixação entre populações (Fst) foi pequeno, porém significativo (0,0485) indicando haver uma pequenadiferenciação entre as subpopulações. As estimativas de diversidade genética indicaram que a maior parte desta diversidade se encontra dentro das subpopulações e que esta é reduzida sugerindo uma base genética estreita para este material, De uma forma geral, as distâncias genéticas entre as subpopulações foram pequenas, variando de 0,0024 a 0,093, Ao contrário do que se esperava, nao houve diferenças entre as distâncias observadas para os pares de amostras vindas do (continua).. ) Rio de Janeiro e as amostra oriundas de outros estados. As distâncias observadas não apresentaram heterogeneidade bastante para que os dendrogramas produzidos pelo método UPGMA tivessem níveis de consistência estatisticamente significativos para os diferentes nós
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 25.01.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200031757Vasconcellos, Breno de Faria e
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      VASCONCELLOS, Breno de Faria e; CONTEL, Eucleia Primo Betioli. Estudo sobre a variabilidade genética da espécie Helix aspersa (Muller 1774) em algumas amostras populacionais no Brasil. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Vasconcellos, B. de F. e, & Contel, E. P. B. (2002). Estudo sobre a variabilidade genética da espécie Helix aspersa (Muller 1774) em algumas amostras populacionais no Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Vasconcellos B de F e, Contel EPB. Estudo sobre a variabilidade genética da espécie Helix aspersa (Muller 1774) em algumas amostras populacionais no Brasil. 2002 ;
    • Vancouver

      Vasconcellos B de F e, Contel EPB. Estudo sobre a variabilidade genética da espécie Helix aspersa (Muller 1774) em algumas amostras populacionais no Brasil. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: