Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: FRANCISCO, IVONE MARIA FONSECA - EE
  • USP Schools: EE
  • Sigla do Departamento: ENO
  • Subjects: CONTROLE DE CUSTOS; ENSINO SUPERIOR; ECONOMIA DA SAÚDE
  • Language: Português
  • Abstract: Neste estudo a autora discorre sobre o crescimento dos Custos em Saúde, a importância dos Custos para a Enfermagem, a inserção desse tema na disciplina de Administração Aplicada à Enfermagem, e tem como objetivos caracterizar os docentes que ministram aulas teóricas na disciplina de Administração Aplicada a Enfermagem dos Cursos de Graduação em Enfermagem do Estado de São Paulo, analisar a disciplina supra mencionada quanto à inserção de conteúdos relativos a Custos, correlacionar e associar variáveis de interesse. O estudo do tipo descritivo, exploratório, correlacional, com abordagem quantitativa, foi levado a efeito em 28 das 47 Escolas de Enfermagem do Estado. Os dados obtidos foram analisados usando métodos de pesquisa quantitativa. O nível de significatividade das inferências produzidas foi de 5% e os resultados mostram que: a) quanto ao perfil dos docentes verificou-se que dos 28 docentes integrantes da amostra, 19 (67.86%) são de Instituições Privadas e 9 (32.14%) são de Instituições Públicas; a maioria, 20 (76.93%) docentes estão na faixa etária entre 34 a 48 anos; 25 (89.29%) são do sexo feminino; 17 (60.71%) tem de 15 a 24 anos de formado; 19 (70.37%) atuam na graduação de 2 a 15 anos e 8 (66.67%) atuam na pós-graduação de 0.5 a 4 anos. Quanto às pós-graduações dos docentes encontramos 21 (48.84%) citações para especializações relacionadas à área de Administração; 9 (40.91%) citações para o Mestrado na área de Administração e 7 (25%) citaçõespara o Doutorado; b) quanto à caracterização da postura do Docente em relação ao tema Custos identificamos que 19 (67.86%) docentes ministram esse tema na graduação; 10 (55.56%) abordam-no na disciplina de "Administração Aplicada à Enfermagem"; 12 (63.16%) o ministram nos 7º e 8º semestres do curso; 12 (70.59%) dedicam de 4 a 9 horas/aula para o ensino de Custos. Os temas mais abordados pelos docentes são 17 (21.52%) citações para "definição e classificação ) de Custos" e 14 (17.72%) citações para "sistemas de custeio/ metodologias de apuração de Custos". Quanto ao preparo dos docentes para ministrar esses temas obtivemos 14 (28.57%) citações para "seminários, palestras e cursos de extensão sobre Custos" e 13 (26.53%) citações para "literatura impressa sobre Custos". Identificamos que 14 (73.68%) docentes sentem dificuldade em ministrar o tema, 5 (35.73%) docentes afirmam que essa dificuldade está relacionada à "falta de capacitação específica em relação à Custos" e 4 (28.57%) alegam dificuldade em "temas avançados sobre Custos". Em relação à adoção de referencial teórico constatamos que os 19 (100%) docentes que ministram Custos utilizam algum tipo de referencial teórico e os mais citados são: 4 (5.63%) para " apostilas, artigos e materiais de cursos e palestras" e 4 (5.63%) para o livro "Contabilidade de custos, inclui ABC" do autor Eliseu Martins. Quanto às sugestões dos docentes para o ensino do tema Custos encontramos 9 (39.10%) citações para "adequaro conteúdo de Custos para a Graduação". Quanto aos motivos para não inclusão do tema Custos na disciplina de Administração Aplicada à Enfermagem, obtivemos 3 (30%) citações para "falta de preparo do docente" e 3 (30%) citações para "falta de motivo específico"; c) quanto às Correlações e Associações entre variáveis de interesse verificamos que existe uma correlação estatisticamente significativa entre o Tempo de Formado e Tempo de Atuação na Graduação, Tempo de Atuação na Pós-Graduação e Número de Pós-Graduações, sugerindo que docentes com maior tempo de formado tendem a apresentar maior tempo de atuação na graduação, na pós-graduação e maior número de pós-graduações, sugere também que docentes com maior tempo de atuação na graduação tendem a apresentar maior tempo de atuação na pós-graduação. Notamos também uma correlação estatisticamente significativa entre o Número de Pós-Graduações e o ) Tipo de IES em que o docente trabalha, sugerindo que docentes com maior número de pós-graduações, tendem a trabalhar em Escolas Públicas. Não encontramos correlação estatisticamente significativa entre o Número de Pós-Graduações do docente e o Ensino do Tema Custos. Verificamos não haver associação estatisticamente significativa entre o Tipo de IES da Graduação do Docente, o Tipo de IES em que Trabalha e o Ensino do Tema Custos. Não percebemos também associação estatisticamente significativa entre o Tipo de IES em que o Docente Trabalha, o Ensino do Tema Custos e a presençade Dificuldade para ministrar esse tema. Perante os dados, conclui-se que o ensino do tema Custos, apesar das dificuldades, tem sido oferecido pelos docentes da disciplina de Administração Aplicada à Enfermagem em 67.86% das Escolas de Graduação em Enfermagem Públicas e Privadas do Estado de São Paulo integrantes da amostra
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 15.10.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EE10200007002T2253
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      FRANCISCO, Ivone Maria Fonseca; CASTILHO, Valéria. O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Francisco, I. M. F., & Castilho, V. (2002). O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Francisco IMF, Castilho V. O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem. 2002 ;
    • Vancouver

      Francisco IMF, Castilho V. O ensino de custos nas escolas de graduação em enfermagem. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: