Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana em dois períodos distintos em um centro de referência em Ribeirão Preto, São Paulo - Brasil (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: KATO, CRISTINA MIKAMI - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • Subjects: INFECÇÕES POR HIV
  • Language: Português
  • Abstract: Medidas preventivas da transmissão vertical (TV) do vírus da imunodeficiência humana (HIV) foram incorporadas na prática clínica, salientando-se a suspensão do aleitamento matemo, profilaxia com zidovudina e outras intervenções possibilitadas pela triagem sorológica materna. Com o objetivo de avaliar e comparar as taxas de TV do HIV em dois períodos distintos no HC-FMRPUSP, foram estudados os fatores associados à TV do HIV nos pares mãe-filho assistidos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, nos anos de 1988 a 1993 e de 1996 a 1999. Nos períodos I e II incluíram-se, respectivamente, 150 e 239 filhos de mães infectadas pelo HIV acompanhados desde o nascimento. No Período I não foi utilizada profilaxia com AZT, enquanto no Período II observou-se que 92,4% das crianças foram expostas ao AZT e em 53,9% dos casos o início foi tardio. A definição do estado de infecção da criança foi baseada em critérios clínicos e sorológicos no período I e também virológicos (PCR -DNA) no período ll. No período I, 25 de 129 crianças se infectaram (19,4%; IC95%, 13-27) contra 20 de 232 (8,6%; IC 95%, 5-13) no período II (p=0,005). Foram preditores de maior risco de TV do HIV o tempo de ruptura de membranas superior a 6 horas (Odds fatio: 2,7; IC95%, 1,3-5,7); a idade gestacional menor que 35 semanas (Odds fatio: 2,4; IC95%, 1,0-5,6); o tipo sanguíneo Rh I negativo (Odds ratio: 2,5; IC95%, 1,0-6,2) e o aleitamento materno (Oddsratio: 2,5; IC95%, 1,2-5,2). O uso profilático de zidovudina protegeu significativamente a criança do risco de transmissão vertical, principalmente quando esse uso foi completo (Odds ratio: 0,3; IC95%, 0,1-0,9), mas também quando houve exposição ao AZT em pelo menos um dos momentos preconizados pelo esquema profilático (Odds ratio: 0,4; IC95%, 0,2-0,8). Dessa forma, pôde-se verificar o impacto positivo do uso da zidovudina na redução da TV, ) detectando-se barreiras para a redução adicional deste risco. A procura de regimes profiláticos alternativos para gestantes identificadas tardiamente são extremamente necessárias para esta população
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 24.07.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200059326kato, Cristina Mikami
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      KATO, Cristina Mikami; MUSSI-PINHATA, Marisa Márcia. Transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana em dois períodos distintos em um centro de referência em Ribeirão Preto, São Paulo - Brasil. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Kato, C. M., & Mussi-Pinhata, M. M. (2002). Transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana em dois períodos distintos em um centro de referência em Ribeirão Preto, São Paulo - Brasil. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Kato CM, Mussi-Pinhata MM. Transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana em dois períodos distintos em um centro de referência em Ribeirão Preto, São Paulo - Brasil. 2002 ;
    • Vancouver

      Kato CM, Mussi-Pinhata MM. Transmissão vertical do vírus da imunodeficiência humana em dois períodos distintos em um centro de referência em Ribeirão Preto, São Paulo - Brasil. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: