Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da transferência de oxigênio em um reator aerado com enchimento plástico submerso para esgoto sanitário (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MARTINS, DANIELLE DA SILVA - EP
  • USP Schools: EP
  • Sigla do Departamento: PHD
  • Subjects: TRATAMENTO DE ESGOTOS SANITÁRIOS
  • Language: Português
  • Abstract: Este estudo abordou a transferência de oxigênio, em um reator aerado de fluxo ascendente, com enchimento plástico submerso em esgoto sanitário, proveniente de um tratamento em reator UASB, enriquecido por lodo anaeróbio digerido, variando a vazão de ar difuso (bolhas grossas) introduzida no reator. Este reator foi construído em polipropileno com 60 cm x 60 cm de área e uma altura de 4,8 m, com volume total de 1,728 m3. Os registros dos valores de OD, durante o decaimento do oxigênio no reator e a sua posterior reaeração, foram utilizados para a determinação dos parâmetros de transferência de oxigênio Q´O IND.2'X e KLa, respectivamente. Para a aeração, o método utilizado na determinação do KLa foi por regressão não linear com série de Lagrange, proposto pela ASCE, 1991, onde utiliza-se a curva experimental de aeração do sistema. Para o decaimento do oxigênio, é necessário plotar os dados de C/Cs (sinal do eletrodo) contra o tempo e o valor da inclinação da reta formada é o valor de Q´O IND.2´X/Cs. O valor de Cs é conhecido e determina-se o valor de Q´O IND.2´X. Os principais parâmetros de transferência de O´IND.2´ obtidos foram os valores para o coeficiente volumétrico de transferência de oxigênio KLa médio para esgoto sanitário, valores de a médio, capacidade de transferência de oxigênio - OTR e a eficiência de transferência de oxigênio - OTE. O coeficiente volumétrico de transferência de oxigênio KLa médio para esgoto sanitário aumenta com o aumento da vazão dear aplicada e os valores médios obtidos para foram de 7,9 h-1, 11,9 h-1e 17,5 h-1, para vazão de ar de 2, 3 e 4 m3/h, respectivamente. ) O valor de ´ALFA´, apresenta-se praticamente constante com o aumento da vazão de ar aplicada e os valores médios obtidos foram de 0,89, 0,84 e 0,90, para vazão de ar de 2, 3 e 4 m3/h, respectivamente. Os valores médios obtidos para a capacidade de transferência de oxigênio (OTR) foram de 0,1174 Kg´O IND.2´/h, 0,1752 Kg´O IND.2´/h e 0,2410 Kg´O IND.2´/h para vazão de ar de 2, 3 e 4 m3/h, respectivamente. Os valores médios obtidos para a eficiência de transferência de oxigênio (OTE) foram de 14,4%, 12,9% e 14,5% para vazão de ar de 2, 3 e 4 m3/h, respectivamente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 27.09.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPEC31400020080FD-3229
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      MARTINS, Danielle da Silva; PIVELI, Roque Passos. Avaliação da transferência de oxigênio em um reator aerado com enchimento plástico submerso para esgoto sanitário. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Martins, D. da S., & Piveli, R. P. (2002). Avaliação da transferência de oxigênio em um reator aerado com enchimento plástico submerso para esgoto sanitário. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Martins D da S, Piveli RP. Avaliação da transferência de oxigênio em um reator aerado com enchimento plástico submerso para esgoto sanitário. 2002 ;
    • Vancouver

      Martins D da S, Piveli RP. Avaliação da transferência de oxigênio em um reator aerado com enchimento plástico submerso para esgoto sanitário. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: