Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O gosto da glosa: Esaú e Jacó na tradição judaica (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: WAJNBERG, DAISY - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLO
  • Subjects: BÍBLIA; NARRATIVA; MIDRASH; ESCRITOS RABÍNICOS; TRADIÇÃO JUDAICA
  • Language: Português
  • Abstract: O presente trabalho trata da narrativa de Esaú e Jacó, pertencente ao primeiro livro da Bíblia hebraica, Gênesis. Situada no centro deste livro, a história relata a ferrenha rivalidade entre irmãos gêmeos em torno do direito à sucessão no clã. Segundo os costumes seria Esaú o herdeiro, pois nasceu antes do irmão. No entanto, o caçula Jacó instigado pela mãe, engana o pai cego à beira da morte e obtém a bênção que o confirma no lugar privilegiado. Esaú é deslocado em seu direito de primogênito e Jacó se ergue, portanto, como o terceiro patriarca. O personagem de Jacó surge na Bíblia sob uma ambígua e inquietante luz. Mas ele é o grande ancestral do povo de Israel, o pai gerador das doze tribos que o constituem. Estamos diante de um tema fundamental na tradição judaica, pois sobre esses irmãos bíblicos se assentarão vários desenvolvimentos historiográficos e narrativos. A oposição fraterna de Esaú e Jacó será ampliada nos termos de um embate entre povos inimigos, Israel e Edom. Nos primeiros séculos da era comum, os rabinos revêem esse enredo bíblico, fazendo representar aí o radical conflito entre a Roma cristã e Israel. O objetivo maior dessa pesquisa consiste na comparação literária entre a narrativa bíblica e aquela do midrash, a respeito desses personagens Esaú e Jacó. O midrash é um gênero literário típico da literatura rabínica, produzido na Antigüidade tardia. Examinaremos especificamente a compilação de Gênesis Rabah, com a leitura de várioscomentários sobre Esaú e Jacó. Porém não haveria como abordar a complexa literatura rabínica, sem a passagem por uma questão primordial que é a da interpretação na tradição judaica. A Bíblia evidentemente é o ponto de partida aqui, pois seu estudo é tarefa maior do povo judeu. O mundo judaico é o da leitura, por princípio, e o judaísmo rabínico radicalizará ao máximo esta dimensão, com a criativa glosa sobre a Escritura
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 05.02.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH21300126913T WAJNBERG, D. 2002
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      WAJNBERG, Daisy; WALDMAN, Berta. O gosto da glosa: Esaú e Jacó na tradição judaica. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Wajnberg, D., & Waldman, B. (2003). O gosto da glosa: Esaú e Jacó na tradição judaica. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Wajnberg D, Waldman B. O gosto da glosa: Esaú e Jacó na tradição judaica. 2003 ;
    • Vancouver

      Wajnberg D, Waldman B. O gosto da glosa: Esaú e Jacó na tradição judaica. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: