Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Análise dos fatores psicossociais de risco em pacientes de primeiro infarto agudo do miocárdio (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DUARTE, MARCIA SIMEI ZANOVELLO - FFCLRP
  • USP Schools: FFCLRP
  • Subjects: PSICOLOGIA DA SAÚDE
  • Language: Português
  • Abstract: No presente trabalho objetivou-se estudar o conhecimento e os fatores psicossociais de risco em um grupo de 60 pacientes de ambos os sexos, acometidos pelo infarto agudo do miocárdio. Foi realizado estudo qualitativo através de entrevistas semidirigidas feitas durante a hospitalização dos pacientes. Os dados demonstraram presença de dois a quatro fatores de risco, relatados pelos participantes, sendo os mais freqüentes: estresse (80,0%), tabagismo (75,0%), hipertensão arterial (61,6%) e sedentarismo (58,3%). Quanto aos fatores psicossociais de risco, a maioria (81,6%) relatou ocorrência de eventos ambientais estressantes, sendo os mais freqüentes conflitos familiares e problemas relativos ao trabalho, seguidos de mudanças de vida, doenças em si ou familiar e morte de alguém significativo. A presença de emoções negativas, como ansiedade e depressão e estresse ocupacional, demonstrou a existência de estresse crônico em 80,0% dos pacientes entrevistados. O estresse ocupacional refletia-se nas condições de ameaça de perda do emprego, instabilidade, perdas financeiras, não ocorrência de férias, sendo a maioria dos entrevistados de baixa renda e mais da metade sem suporte social. Quanto ao estilo adaptativo, metade dos pacientes possuía características de comportamento tipo A (raiva, comportamento explosivo, hostilidade, impaciência, auto-exigência e excesso de responsabilidade), e o restante apresentava internalização da raiva, ruminação e adição ao cigarro comoestilo de enfrentamento dos problemas. Constatou-se também que o conhecimento dos fatores de risco é parcial e insuficiente, com ênfase no estresse emocional e tabagismo, porém com baixa consciência e sem mudança no comportamento; existe pouco conhecimento e correlação da hipertensão arterial, colesterol e diabetes com o infarto. Observou-se redução de práticas de saúde, como baixa freqüência a serviços médicos e baixa adesão a tratamento medicamentoso. ) Questões comportamentais como conformismo, minimização dos fatores de risco, adiamento em realizar exames e o imediatismo, que caracteriza a ausência de mentalidade preventiva, ficaram evidenciados. Destaca- se a importância do trabalho psicológico para a modificação deste padrão desadaptativo e aprendizagem de manejo adequado do estresse, nos programas de prevenção e reabilitação. Questões macro-sociais, como o baixo nível sócio-econômico e cultural e carência de necessidades básicas como proteção, provisão e segurança, comprometendo a qualidade de vida e os cuidados à saúde, também foram questões relevantes
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 21.06.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FCLRP20800043381Duarte, Márcia Simei Zanovello
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DUARTE, Márcia Simei Zanovello; GORAYEB, Ricardo. Análise dos fatores psicossociais de risco em pacientes de primeiro infarto agudo do miocárdio. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Duarte, M. S. Z., & Gorayeb, R. (2002). Análise dos fatores psicossociais de risco em pacientes de primeiro infarto agudo do miocárdio. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Duarte MSZ, Gorayeb R. Análise dos fatores psicossociais de risco em pacientes de primeiro infarto agudo do miocárdio. 2002 ;
    • Vancouver

      Duarte MSZ, Gorayeb R. Análise dos fatores psicossociais de risco em pacientes de primeiro infarto agudo do miocárdio. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: