Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Avaliação da eficácia dos desinfetantes químicos na desinfecção de resina acrílica termopolimerizável (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GARCIA JUNIOR, ADALTON - FORP
  • USP Schools: FORP
  • Sigla do Departamento: 805
  • Subjects: RESINAS ACRÍLICAS; PRÓTESE
  • Language: Português
  • Abstract: A maioria dos ítens transportados entre o consultório e o laboratório odontológicos não podem ser esterilizados com calor pois são danificados. Para reduzir a possibilidade de transmissão cruzada de microorganismos, os moldes, as próteses e outros acessórios devem ser desinfetados com substâncias químicas de eficácia comprovada. O objetivo desse estudo foi avaliar a eficácia dos desinfetantes químicos hipoclorito de sódio a 1,0% (Biodinâmica Química e Farmacêutica Ltda., Ibiporã, Paraná), hipoclorito de sódio a 2,0% (Biopharma, Uberlândia, Minas Gerais) e glutaraldeído a 2,0% (Cidex, Johnson & Johnson Produtos Profissionais Ltda., São José dos Campos, São Paulo) frente a cinco cepas de microorganismos ( (Staphylococcus aureus, Pseudomonas aeruginosa; Enterococcus faecalis, Streptococcus mutans, Candida albicans) na desinfecção da superfície externa e da parte interna de resina acrílica termopolimerizável Lucitone 550 (Dentsply, Petrópolis, Brasil). Para a avaliar a desinfecção da superfície externa, 250 corpos-de-prova esféricos (15,0mm de diâmetro e 4,0mm de espessura) foram confeccionados, esterilizados com óxido de etileno, contaminado e imersos em uma das soluções desinfetantes por períodos de 5,10 ou 15 minutos. Em seguida, foram transferidos para tubos de ensaio contendo meio de cultura e incubados a 37°C por 20 dias. Para a parte interna, 250 corpos-de-prova retangulares (65mm de comprimento, 10mm de largura e 3mm de espessura) receberamacabamento e polimento em uma das faces, foram esterilizados, imersos em meio de cultura contendo os microorganismos citados e desinfetados com uma das soluções pelos mesmos períodos. Em seguida, foram fraturados e realizadas culturas de contato da parte interna em placas de Petri contendo meio de cultura. Os resultados desse estudo mostraram que o período de 10 minutos foi adequado para a desinfecção da superfície externa da resina acrílica. A rugosidade não teve ) influência na eficácia da desinfecção da superfície externa. As três soluções desinfetantes foram eficazes na destruição da maioria dos microorganismos presentes na parte interna, mas, nenhuma destruiu totalmente os microorganismos. Portanto, é recomendado realizar novamente a desinfecção de uma prótese com resina acrílica após o seu desgaste
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.11.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FORP11700000413Garcia Junior, Adalton
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GARCIA JUNIOR, Adalton; ORSI, Iara Augusta. Avaliação da eficácia dos desinfetantes químicos na desinfecção de resina acrílica termopolimerizável. 2002.Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2002.
    • APA

      Garcia Junior, A., & Orsi, I. A. (2002). Avaliação da eficácia dos desinfetantes químicos na desinfecção de resina acrílica termopolimerizável. Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
    • NLM

      Garcia Junior A, Orsi IA. Avaliação da eficácia dos desinfetantes químicos na desinfecção de resina acrílica termopolimerizável. 2002 ;
    • Vancouver

      Garcia Junior A, Orsi IA. Avaliação da eficácia dos desinfetantes químicos na desinfecção de resina acrílica termopolimerizável. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: