Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Mapeamento de genes de resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: LOPES, MARIA TERESA GOMES - ESALQ
  • USP Schools: ESALQ
  • Subjects: RESISTÊNCIA GENÉTICA VEGETAL; MANCHA FOLIAR; MAPEAMENTO GENÉTICO; MELHORAMENTO GENÉTICO VEGETAL; MILHO
  • Language: Português
  • Abstract: O objetivo do presente trabalho foi estimar o modo de herança da resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho através da análise de média de gerações e identificar locos de resistência quantitativa (QRL) por meio de marcadores moleculares. Uma análise de média de gerações foi realizada para duas populações descendentes dos cruzamentos entre duas linhagens resistentes (DAS72 e DAS95) com uma suscetível (DAS21). A avaliação foi realizada utilizando-se escala diagramática, 30 dias após o florescimento. As médias de severidade da doença dos genitores e das gerações F1, F2, RCP1 e RCP2 foram analisadas segundo o modelo de Mather e Jinks (1971). Os resultados evidenciaram a importância dos efeitos genéticos aditivos comparado aos dominantes em ambas populações. A variação genética média devida a efeitos aditivos foi de 73 % e 74 % em cada população. A resistência à mancha de Phaeosphaeria apresentou-se ainda como uma característica de alta herdabilidade no sentido amplo (71 % e 63 %, respectivamente para as populações oriundas de DAS95 x DAS21 e DAS72 x DAS21) e oligogênia. O mapeamento de QRLs foi realizado com base na análise de 118 famílias F3, provenientes do cruzamento entre DAS95 x DAS21, avaliadas em duas épocas de semeadura com três repetições cada. A severidade da doença foi avaliada no florescimento, 15 e 30 dias após este. A partir das avaliações pontuais, calculou-se a AUDPC (área abaixo da curva de progresso da doença) para cada família. Análises deligação entre marcadores e QRLs foram efetuadas por regressão linear múltipla (RLM) e por mapeamento por intervalo composto (MIC). A proporção da variação fenotípica em resistência devida a associação de QRLs com marcadores para avaliações pontuais e AUDPC dos dois experimentos e análise conjunta dos mesmos, variou de 33 % a 45 %, segundo a análise de RLM. Considerando as três avaliações individuais e a AUDPC, foram identificados 10 marcadores ) ligados a QRLs no primeiro experimento, 9 no segundo e 9 na análise conjunta, em seis cromossomos distintos. Um QRL foi identificado ligado a um marcador não alocado a nenhum cromossomo. Foram identificados QRLs que apresentaram interação com o ambiente, ressaltando a importância de avaliar populações em diferentes ambientes. Através do método do mapeamento por intervalo composto, foram mapeados QRLs em 10 intervalos, sendo 2 no cromossomo 1, 2 no cromossomo 2, 3 no cromossomo 4, 1 no cromossomo 5, 1 no cromossomo 6 e 1 no cromossomo 9. Foram identificados alelos de resistência em ambos os genitores, embora a maior contribuição para resistência tenha sido a do genitor resistente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.03.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    ESABC10500032690t633.15 L864m e.2 81243
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      LOPES, Maria Teresa Gomes; CAMARGO, Luis Eduardo Aranha. Mapeamento de genes de resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho. 2003.Universidade de São Paulo, Piracicaba, 2003.
    • APA

      Lopes, M. T. G., & Camargo, L. E. A. (2003). Mapeamento de genes de resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho. Universidade de São Paulo, Piracicaba.
    • NLM

      Lopes MTG, Camargo LEA. Mapeamento de genes de resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho. 2003 ;
    • Vancouver

      Lopes MTG, Camargo LEA. Mapeamento de genes de resistência a mancha de Phaeosphaeria em milho. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: