Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Tolerância ao etanol e atividde enzimática das desidrogenases alcóolicas (ADH) em Anastrepha (Diptera: Tephritidae): cruzamento de espécies com diferente número de locos (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CARVALHO, ENÉAS DE - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: MOSCA-DAS-FRUTAS; DIPTERA
  • Language: Português
  • Abstract: As moscas-das-frutas do gênero Anastrepha (Diptera: Tephritidae) são pragas que possuem importãncia econômica por se alimentarem de vários frutos. Algumas de suas espécies podem ser cruzdas entre si, resultando em híbridos férteis que podem ser retrocruzados com ambos os parentais. Duas espécies de Anastrepha, cujo cruzamento interespecífico é viável, foram estudadas (A. fraterculus e A. obliqua). Gerou-se o híbrido e os retrocruzamentos com cada um dos parentais. Cada espécie parental possui caracteristicamente um diferente número de cópias do gene codificador de enzimas que degradam álcool (ADH), quatro e seis, respectivamente, com o híbrido e os retrocruzamentos possuindo valores médios intermediários. O ambiente genético de cada um dos retrocruzamentos também possui valores intermediários entre os híbridos e os parentais. Foram medidas características relacionadas ao metabolismo do etanol e à sua tolerância tanto nas espécies parentais como nas populações geradas nos diferentes cruzamentos. Para cada larva, medimos a atividade enzimática, a quantidade de proteínas encontradas nos indivíduos e a tolerância ao etanol. Esses caracteres foram correlacionados entre si e entre fatores do meio, como tempo de exposição ao etanol e concentração de etanol. A atividade enzimática específica e a quantidade de proteínas encontradas nos indivíduos possuíram padrão de herança aditivo, e ambas foram positivamente correlacionadas com a tolerância ao etanol. A atividadeenzimática por larva possui um comportamento complexo, seguindo uma equação de terceiro grau, o que estaria relacionado com efeitos epistáticos e complexos gênicos coadaptados. Houve uma indução significante da atividade enzimática específica com o aumento do tempo de exposição ao etanol e da concentração de etanol. De maneira similar ao que é proposto em diversos estudos com moscas do gênero Drosophila, nós povemos evidência de que o metabolismo do etanol ) em anastrepha está sob o controle de multiplas interações gene por gene e interações gene por ambiente
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 20.11.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000020920M-1087
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CARVALHO, Enéas de; MATIOLI, Sérgio Russo. Tolerância ao etanol e atividde enzimática das desidrogenases alcóolicas (ADH) em Anastrepha (Diptera: Tephritidae): cruzamento de espécies com diferente número de locos. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Carvalho, E. de, & Matioli, S. R. (2002). Tolerância ao etanol e atividde enzimática das desidrogenases alcóolicas (ADH) em Anastrepha (Diptera: Tephritidae): cruzamento de espécies com diferente número de locos. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Carvalho E de, Matioli SR. Tolerância ao etanol e atividde enzimática das desidrogenases alcóolicas (ADH) em Anastrepha (Diptera: Tephritidae): cruzamento de espécies com diferente número de locos. 2002 ;
    • Vancouver

      Carvalho E de, Matioli SR. Tolerância ao etanol e atividde enzimática das desidrogenases alcóolicas (ADH) em Anastrepha (Diptera: Tephritidae): cruzamento de espécies com diferente número de locos. 2002 ;