Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Contribuição ao estudo do diagnóstico e do tratamento da demodicidose canina generalizada (2002)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: DELAYTE, ERICKA HOMANN - FMVZ
  • USP Schools: FMVZ
  • Sigla do Departamento: VCM
  • Subjects: SARNA DEMODÉCICA ANIMAL; DOENÇAS PARASITÁRIAS; CÃES; ACARICIDAS; DERMATOPATIAS
  • Language: Português
  • Abstract: A demodicidose canina se constitui em dermatose primária, causada pela proliferação excessiva de ácaro comensal da pele hígida, denominado Demodex canis, decorrente de quadro herdado de imunossupressão mediado celularmente. Face a magnitude de ocorrência da dermatose e na busca de alternativas de terapia, objetivou-se além de caracterizar epidemiológica e clinicamente 63 casos de demodicidose canina generalizada; determinar a sensibilidade dos exames: parasitológico do raspado cutâneo, do pelame e do cerumen, e, ainda, o histopatológico da pele; avaliar e comparar a eficácia da ivermectina e da moxidectina, detectar a eventual ocorrência de efeitos colaterais decorrente do emprego destes acaricidas e acompanhar os cães tratados visando detectar recidiva do quadro dermatopático. Dos 63 animais, 59% eram fêmeas, 76% apresentavam precisa definição racial e 67% tinham pelame curto. Observou-se que a maioria dos cães tinha até 18 meses de idade (69,8%). O prurido cutâneo estava presente em 77,8% dos animais. As lesões mais observadas foram: alopecia (96,8%), eritema (82,6%), crostas (71,4%) e pápulas (60,3%). A piodermite foi evidenciada em 73%, a blefarite em 44,5%, otodemodiciose em 38,1% e a pododemodiciose em 33,4% dos casos. A sensibilidade dos exames parasitológico do raspado cutâneo, do pelame, do cerumen e do histopatológico foi, respectivamente, de 100%, 88,9%, 53,3% e 93,7%. A ivermectina (0,6mg/kg/dia), "per os" foi administrada a 31 cães, sendo eficaz em89,6% dos casos. A moxidectina (0,5mg/kg/cada 72 horas) foi administrada, pela via oral, a 32 animais e apresentou eficácia em 93,5%. Os tempos médios para a obtenção da primeira negativação do exame parasitológico do raspado cutâneo e para a consecução da alta, foram, respectivamente: de 90,3 e 126 dias para a ivermectina e de 108 e 148 dias para a moxidectina. A ivermectina desencadeou um percentil (16,1%) menor de efeitos colaterais relativamente ) a moxidectina (37,5%). Os percentis de recidivas, foram, respectivamente, de 10,3% e de 6,5%, com os protocolos de terapia com a ivermectina e a moxidectina
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 13.12.2002

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMVZ11300023035T.1166 FMVZ e.2
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      DELAYTE, Ericka Homann; LARSSON, Carlos Eduardo. Contribuição ao estudo do diagnóstico e do tratamento da demodicidose canina generalizada. 2002.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.
    • APA

      Delayte, E. H., & Larsson, C. E. (2002). Contribuição ao estudo do diagnóstico e do tratamento da demodicidose canina generalizada. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Delayte EH, Larsson CE. Contribuição ao estudo do diagnóstico e do tratamento da demodicidose canina generalizada. 2002 ;
    • Vancouver

      Delayte EH, Larsson CE. Contribuição ao estudo do diagnóstico e do tratamento da demodicidose canina generalizada. 2002 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: