Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo cefalométrico radiográfico das características craniocervicais e hióideas em pacientes portadores de maloclusão Classe I de Angle (1999)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: RINO, CRISTINA PALÁCIO - FO
  • USP Schools: FO
  • Subjects: CEFALOMETRIA; DIAGNÓSTICO ORTODÔNTICO
  • Language: Português
  • Abstract: A proposta do presente estudo foi examinar a postura craniocervical por meio do ângulo craniocervical e da distância O-A, o comportamento da curvatura cervical; e a posição do osoo hióide, usando o triângulo hióideo. A amostra utilizada constou de 41 estudantes de Odontologia da Universidade de São Paulo - USP (22 sexo feminino e 19 sexo masculino), leucodermas, entre 19 e 30 anos que apresentavam maloclusão Classe I de Angle, dentição completa, nunca tinham sofrido tratamento ortodôntico ou ortopédico funcional, e não apresentavam sinais ou sintomas de problemas na coluna cervical. Foram realizadas telerradiografias em norma lateral, alcançando até a sétima vértebra cervical, segundo a técnica preconizada por Rocabado (1997). Assim, após a realização do traçado cefalométrico e das mensurações adequadas, foi possível estabelecer os padrões para a amostra estudada. O ângulo craniocervical teve valor médio de 101,95° mais ou menos 6,17, a distância O-A foi 6,86 mm mais ou menos 2,69, o ângulo da curvatura cervical foi 33,54° mais ou menos 10,65; quanto às medidas do triângulo hióideo, obtivemos: H-C3= 40,70mm mais ou menos 5,64, H-RGn=40,08mm mais ou menos 5,53, C3-RGn=78,69mm mais ou menos 6,86, H-H´= 5,67mm mais ou menos 6,80 e ângulo do plano hióideo= 16,03° mais ou menos 7,73. Concluímos que 56,1% dos integrantes da amostra apresentaram a distância O-A significantemente menor, isto é, a cabeça tendendo à extensão. Existe dimorfismo sexual nas medidas: ângulocraniocervical, H-C3, C3-RGn e H-H, sendo os valores significantemente menores para o sexo feminino, (p=0,014, p<0,001, p=0,020 e p<0,001, respectivamente). As correlações estatisticamente significantes encontradas neste estudo foram todas positivas. ) A distância O-A correlacionou com o ângulo da curvatura cervical (r=0,62 e p<0,001), a medida H-C3 correlacionou com a medida C3-RGn (r=0,55 e p<0,001), H-RGn correlacionou com C3-RGn (r=0,66 e p<0,001) e com ângulo do plano hióideo (r=0,54 e p<0,001)
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 26.11.1999

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FO11500046635T2.846
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      RINO, Cristina Palacio; ABRÃO, Jorge. Estudo cefalométrico radiográfico das características craniocervicais e hióideas em pacientes portadores de maloclusão Classe I de Angle. 1999.Universidade de São Paulo, São Paulo, 1999.
    • APA

      Rino, C. P., & Abrão, J. (1999). Estudo cefalométrico radiográfico das características craniocervicais e hióideas em pacientes portadores de maloclusão Classe I de Angle. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Rino CP, Abrão J. Estudo cefalométrico radiográfico das características craniocervicais e hióideas em pacientes portadores de maloclusão Classe I de Angle. 1999 ;
    • Vancouver

      Rino CP, Abrão J. Estudo cefalométrico radiográfico das características craniocervicais e hióideas em pacientes portadores de maloclusão Classe I de Angle. 1999 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: