Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

O trabalho da mulher e suas condições de saúde: pesquisa realizada em uma comunidade de baixa renda (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: CAVALCANTE, MARIA CLEMILSE - EE
  • USP Schools: EE
  • Sigla do Departamento: ENS
  • Subjects: SAÚDE DA MULHER; PROCESSO SAÚDE-DOENÇA; TRABALHADORES
  • Language: Português
  • Abstract: Esta pesquisa estuda a relação entre o trabalho e as condições de saúde da mulher sob a perspectiva histórico-social fundamentada nas idéias de Breilh (1994), para quem as mulheres com dupla e tripla carga de trabalho apresentam um desgaste, visto como fator desencadeante dos problemas de saúde. Assim, através de um estudo de natureza transversal descritivo, de base populacional, pretendeu-se investigar, na Comunidade Nova Conquista, como o processo saúde/doença da mulher em idade reprodutiva se relaciona à sobrecarga de trabalho. A amostra representativa foi constituída por 309 mulheres de 15 a 49 anos, residentes na Comunidade Nova Conquista, localizada no município de Diadema, SP. Os dados foram coletados através de entrevistas domiciliares realizadas por estudantes de enfermagem e agentes de saúde previamente treinadas. Foram considerados como trabalhos executados pelas mulheres, o doméstico (afazeres relacionados ao cuidado da casa e cuidado com crianças ou idosos), o remunerado (qualquer atividade pelo qual a mulher recebia pagamento, fosse ele formal ou informal, exercido dentro ou fora de casa) e o reprodutivo (desempenhado por mulheres com filhos). As cargas de trabalho foram definidas em única, dupla (com e sem filhos) e tripla: mulheres com carga única executavam somente trabalho doméstico; aquelas com dupla carga incluíram mulheres com trabalho doméstico e trabalho remunerado (dupla sem filhos) ou aquelas com trabalho doméstico e trabalho reprodutivo(dupla com filhos); mulheres com tripla carga executavam trabalho doméstico, remunerado e reprodutivo. Estado nutricional, problemas de saúde dos últimos quinze dias e alguns aspectos preventivos foram analisados de acordo com as cargas de trabalho. A totalidade das mulheres executava o trabalho doméstico, 56,3% tinham trabalho remunerado e 84,1% trabalho reprodutivo. A grande maioria era submetida à sobrecarga de trabalho: 31,4% trabalhavam com ) sobrecarga tripla (trabalho doméstico+trabalho remunerado+trabalho reprodutivo), 56,3% tinham dupla carga de trabalho (32,7% com trabalho doméstico+trabalho reprodutivo, com filhos & 23,6% com trabalho doméstico+trabalho remunerado, sem filhos) e 12,3% constituiu o grupo com única carga de trabalho. Quase metade das mulheres tinha excesso de peso, sendo que tanto a pré-obesidade quanto a obesidade aumentaram significativamente com as cargas de trabalho. A maioria dos problemas de saúde era de ordem física e os problemas emocionais predominaram significativamente nas mulheres com sobrecarga de trabalho. Metade das mulheres utilizavam o serviço público para resolução dos problemas de saúde, e igual proporção automedicava-se. Não se verificou associação entre providências tomadas diante dos problemas de saúde e cargas de trabalho. A prática contraceptiva mais utilizada pelas mulheres era a pílula, especialmente pelas mulheres sem filhos. A indicação médica foi insignificante na escolha do método. Maiorporcentual de mulheres sem filhos não faziam auto-exame da mama e exame Papanicolau. A televisão constituiu-se na principal atividade de lazer para dois terços das mulheres. Maior proporção de mulheres com filhos (dupla e tripla carga de trabalho) dormiam menos de 5 horas diárias, e proporção significativamente maior de mulheres com tripla carga de trabalho fumava ou já havia fumado. Os resultados evidenciam a necessidade de se trabalhar na diminuição da sobrecarga de trabalho da mulher, cabendo aos profissionais de saúde, promover a conscientização da população, além de buscar alternativas de caráter preventivo ou de detecção precoce de problemas de saúde relevantes como é o caso da obesidade, dos problemas emocionais e gastrointestinais, além dos cardiovasculares, conseqüentes da sobrecarga de trabalho
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 23.04.2003

  • How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      CAVALCANTE, Maria Clemilse; FUJIMORI, Elizabeth. O trabalho da mulher e suas condições de saúde: pesquisa realizada em uma comunidade de baixa renda. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Cavalcante, M. C., & Fujimori, E. (2003). O trabalho da mulher e suas condições de saúde: pesquisa realizada em uma comunidade de baixa renda. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Cavalcante MC, Fujimori E. O trabalho da mulher e suas condições de saúde: pesquisa realizada em uma comunidade de baixa renda. 2003 ;
    • Vancouver

      Cavalcante MC, Fujimori E. O trabalho da mulher e suas condições de saúde: pesquisa realizada em uma comunidade de baixa renda. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI:

    Digital Library of Intellectual Production of Universidade de São Paulo     2012 - 2019