Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Adensamento e desaguamento de lodos gerados em estações de tratamento de água: estudo de caso; ETAs 3 e 4 (SANASA - Campinas) (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: SOUZA, CAROLINA ALVES DE - EP
  • USP Schools: EP
  • Sigla do Departamento: PHD
  • Subjects: LODO (TRATAMENTO); ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS
  • Language: Português
  • Abstract: O tratamento e disposição dos resíduos sólidos gerados em estações de tratamento de água (ETAs) têm recebido atenção no Brasil apenas nos últimos anos. Essa maior atenção que hoje se verifica, tem ocorrido principalmente em razão da Lei Federal nº 9.605, em vigência no país desde o início de 1998. O presente trabalho envolveu o estudo das alternativas de adensamento, condicionamento e desaguamento dos lodos gerados nas ETAs 3 e 4 da cidade de Campinas. De maneira a selecionar a melhor unidade de adensamento e desidratação a ser instalada, foram pesquisados os critérios de projeto das ETAs e determinado o seu balanço de massa. Realizaram-se também ensaios em escala piloto, além de se considerar para cada alternativa levantada, seus custos operacionais, de transporte e disposição em aterro. Das quatro alternativas levantadas, aquela referente ao adensamento por gravidade seguido do desaguamento por filtro prensa (nº 2) foi a que apresentou a menor potência consumida ao longo do processo (1.393,8 kwh/d), o menor consumo de polímero (74,8 kg/d), e o menor consumo de água potável (3,0 m³/h). Já, alternativa referente ao adensamento mecânico por tela seguido pelo desaguamento por centrífuga (nº 3), foi a que teve seus insumos operacionais computados mais elevados: 2.815,2 kwh/d; 159,8 kg/d e 6,7 m³/h. Averiguou-se também, que a alternativa que apresentou o menor custo/m³ foi a nº 2 e a mais cara, a de nº 3. O sistema de adensamento mecânico por tela e desaguamento por filtro prensa (alternativa nº 4) foi o que apresentou o maior investimento inicial, embora tanto seu custo operacional quanto sua eficiência (>ou= 84%) tenham sido medianos.Ainda que a alternativa 2 tenha apresentado uma eficiência de tratamento de lodo um pouco superior a alternativa referente ao adensamento por gravidade seguido pelo desaguamento por centrífuga (nº 1), isto é, de 95 contra 93,3%, seu investimento inicial chega a ser duas vezes maior (7.294,0.10³ contra R
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.09.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    EPBC31200024499FD-3444
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      SOUZA, Carolina Alves de; FERREIRA FILHO, Sidney Seckler. Adensamento e desaguamento de lodos gerados em estações de tratamento de água: estudo de caso; ETAs 3 e 4 (SANASA - Campinas). 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Souza, C. A. de, & Ferreira Filho, S. S. (2003). Adensamento e desaguamento de lodos gerados em estações de tratamento de água: estudo de caso; ETAs 3 e 4 (SANASA - Campinas). Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Souza CA de, Ferreira Filho SS. Adensamento e desaguamento de lodos gerados em estações de tratamento de água: estudo de caso; ETAs 3 e 4 (SANASA - Campinas). 2003 ;
    • Vancouver

      Souza CA de, Ferreira Filho SS. Adensamento e desaguamento de lodos gerados em estações de tratamento de água: estudo de caso; ETAs 3 e 4 (SANASA - Campinas). 2003 ;