Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Quando a teoria inventa a prática: os discursos de renovação frente ao ensino tradicional de história (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: AUGUSTO, MAURICIO LIBERAL - FE
  • USP Schools: FE
  • Subjects: HISTÓRIA (ESTUDO E ENSINO); PRÁTICA DE ENSINO
  • Language: Português
  • Abstract: Nas décadas de 1980 e 1990, desenvolveu-se nos meios acadêmicos de História, neste país, um amplo consenso para o combate a um suposto "ensino tradicional", que deveria ser substítuido por um processo de "renovação". O debate em torno do assunto foi claramente permeado, como um eco tardio, pelo fervor militante presente nas duas décadas de ditadura militar e pelos bem sucedidos esforços em prol da redemocratização. Esta dissertação - que toma como obra de referência ao ensino de História, fundamentalmente, a Revista Brasileira de História, publicação da Associação Nacional dos Professores Universitários de História(ANPUH) e coletâneas amplamante aceitas - procura mostrar que, naquelas circunstâncias, aquele consenso inclinou-se para a rejeição pura e simples do "ensino tradicional", sem que fosse explicitado do quê ele consistia, e para o uso recorrente de slogans e expressões condenatórias, das quais a mais típica é o "conhecimento pronto e acabado". Também se revela que, ao mesmo tempo, e contrariando seus propósitos libertários, o consenso renovador procurava impor, sem admiti-lo, prescrições acerca de como deveriam ser o ensino, o professor e o aluno. Ao revelar esse conjunto de atitudes, tomadas por uma comunidade auto-referente, este trabalho pretende reforçar a indiscutível distinção entre universidade e escola (fundamental e média), implicitamente negada pelo consenso de renovadores, além de recuperar componentes valiosos do ensino dito tradicional,inseparáveis da tarefa do educador - como o próprio livro didático - e recusar a noção de que a prática do ensino de História neste país se dê invariavelmente de uma forma impositiva, à qual professor e aluno só reajam passivamente. Do mesmo modo, procura-se mostrar que a pretendida renovação - vista como uma tentativa de inventar uma"nova tradição "- é formulada de forma execessivamente genérica e inconsistente, quando não impraticável
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 02.08.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FE20500093677375.42 A923q
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      AUGUSTO, Maurício Liberal; BITTENCOURT, Circe Maria Fernandes. Quando a teoria inventa a prática: os discursos de renovação frente ao ensino tradicional de história. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Augusto, M. L., & Bittencourt, C. M. F. (2003). Quando a teoria inventa a prática: os discursos de renovação frente ao ensino tradicional de história. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Augusto ML, Bittencourt CMF. Quando a teoria inventa a prática: os discursos de renovação frente ao ensino tradicional de história. 2003 ;
    • Vancouver

      Augusto ML, Bittencourt CMF. Quando a teoria inventa a prática: os discursos de renovação frente ao ensino tradicional de história. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: