Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Influência meteorotrópicas nas doenças cardiovasculares na cidade de São Paulo (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: BRAUN, SAMUEL - IAG
  • USP Schools: IAG
  • Sigla do Departamento: ACA
  • Subjects: BIOMETEOROLOGIA
  • Language: Português
  • Abstract: Têm sido observadas por diversos pesquisadores, em várias cidades de todo mundo, associações entre mortalidade por doenças cardiovasculares (DCV), variáveis meteorológicas (índices biometeorológicos) e níveis de poluentes. Em São Paulo (SP) esta associação também existe, pois como um grande centro urbano SP sofre os efeitos do desenvolvimento industrial e do aumento da frota de veículos. Além disto, por apresentar um clima classificado como subtropical úmido, como uma estação seca e fria bem definida, agrava ainda mais os problemas dos moradores desta cidade por apresentar desconforto térmico em diversas situações meteorológicas. Portanto, o objetivo deste estudo foi de analisar o conforto térmico humano na cidade de SP, durante o período de 1996 a 2000, como também avaliar o efeito dos índices biometeorológicos, das variáveis meteorológicas e dos níveis de poluição atmosférica sobre a mortalidade por DCV, em pessoas com mais de 65 anos. Os dados de mortalidade diária por DVC foram obtidos via PRO-AIM e as concentrações diárias de 'SO IND.2' 'PM IND.10', 'NO IND.2', CO e 'O IND.3' via CETESB. Já as variáveis meteorológicas de superfície foram obtidas na estação meteorológica do IAG-USP. A análise do conforto térmico foi baseada em cinco índices biometeorológicos, classificando as condições térmicas (Fanger, 1970). Para a classificação térmica foram utilizados os índices de temperatura efetiva em função do vento (TEv). A relação entre mortalidade por DCV, índices deconforto (ou parâmetros meteorológicos) e níveis de poluição do ar (utilizando também estruturas de defasagem) foi avaliada por meio das ferramentas estatísticas de correlação e análise de componentes principais (ACP). Verificou-se variação sazonal significa da mortalidade por DVC, com evidente aumento do número de óbitos durante o inverno e queda durante o verão. Os poluentes apresentaram maiores concentrações, com exceção do 'O IND.3', ) durante o período de inverno, devido as condições atmosféricas desfavoráveis. Com relação aos índices, todos apontaram o verão de 1997/1998 como o de maior estresse em função do calor (ano de intenso El Niño). Por outro lado, as condições térmicas relacionadas ao frio são responsáveis, segundo o índice TE, por 45,29% dos óbitos, enquanto que os relacionados ao calor são responsáveis por 23,88% dos óbitos. Observa-se também, com base na média de óbitos por diferentes sensações, a forma de U, só que de uma forma não muito pronunciada, o que era de esperar para o clima paulistano. Através do índice TEv, encontrou-se que o estresse com relação ao frio foi responsável por 64,89% dos óbitos, enquanto que o relacionado as altas temperaturas foram responsáveis por apenas 12,23% das mortes por DCV. Utilizando-se a ACP, sem média móvel, incluindo apenas um índice de conforto, tem-se uma clara associação negativa entre DCV(-0,78) e TEv (0,80). Os coeficientes de correlação foram mais significativos , baseado na estrutura de defasagem de diasde atraso, entre a mortalidade por DCV e as variáveis meteorológicas quando utilizamos 3 dias de atraso (-0,48 para a temperatura mímima, por exemplo). Já para os poluentes atmosféricos as melhores associações foram encontradas para o caso sem atraso. Utilizando as estruturas de defasagem de médias móveis, as associações tenderam a crescer à medida que aumentamos o número de termos da média móvel, tornando-se significativo para a média móvel de 3 dias (0,71 para a DCV, associada negativamente às variáveis meteorológicas com pesos positivos significativos, -0,94 para temperatura média e -0,91 para umidade específica, no fator 2 com 31,15% da variância explicada). Os resultados da ACP também apresentaram melhores resultados quando utilizamos o caso de 3 dias de atraso, com o peso do fator relacionado por DCV alcançando -0,62 (relacionado com as variáveis meteorológicas com pesos ..
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 28.07.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IAG30200023338CD-ROM 401
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      BRAUN, Samuel; GONÇALVES, Fábio Luiz Teixeira. Influência meteorotrópicas nas doenças cardiovasculares na cidade de São Paulo. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Braun, S., & Gonçalves, F. L. T. (2003). Influência meteorotrópicas nas doenças cardiovasculares na cidade de São Paulo. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Braun S, Gonçalves FLT. Influência meteorotrópicas nas doenças cardiovasculares na cidade de São Paulo. 2003 ;
    • Vancouver

      Braun S, Gonçalves FLT. Influência meteorotrópicas nas doenças cardiovasculares na cidade de São Paulo. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: