Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Realismo e representação na filosofia de descartes (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: GALLINA, ALBERTINHO LUIZ - FFLCH
  • USP Schools: FFLCH
  • Sigla do Departamento: FLF
  • Subjects: FILOSOFIA MODERNA
  • Language: Português
  • Abstract: Este trabalho visa retomar o problema o conhecimento da Natureza na filosofia de Descartes, mostrando que a sua justificação envolve tanto uma discussão sobre a representação quanto uma demonstração da existência do mundo material. Na primeira parte do trabalho mostramos que o conhecimento dos fenômenos naturais requer uma fundamentação metafísica. Esta exigência conduz Descartes a explicitar duas questões fundamentais para sua física: a natureza matemática da estrutura última da realidade material e a natureza representacional do conhecimento, elaborado a partir da percepção das idéias inatas ao espírito humano. Estas duas questões metafísicas tornam possível o desenvolvimento da física, cujo exemplo paradigmático é a explicação mecanicista do fenômeno da visão. Na segunda parte são analisados os argumentos que constituem a justificação do conhecimento humano, especialmente no tocante ao modo como o conhecimento é elaborado e a natureza do objeto conhecido. Ao refutar a possibilidade de um conhecimento direto do mundo exterior e ao provar a existência do sujeito pensante, Descartes mostrou que o conhecimento humano resulta da percepção de idéias. Mas, sobretudo, mostrou que o conhecimento físico da Natureza requer, além da garantia da verdade que depende da existência de um Deus veraz, também a existência de algo exterior e heterogêneo ao pensamento: a existência das coisas materiais. A terceira parte trata de discutir como é possível pensar o conhecimento daNatureza, uma vez que a percepção sensível somente contribui ao nível das informações pertinentes ao bem estar do composto espírito-corpo. Contudo, mesmo que a participação da sensação não seja direta, a sua ocorrência permite ao entendimento determinar as propriedades geométricas dos corpos existentes no mundo, as quais servem de conteúdo para as explicações físicas dos fenômenos ) da Natureza. Mesmo sustentando uma concepção realista, as inovações propostas por Descartes lhe permitiram pensar a física como uma ciência cuja representação torna possível o conhecimento quantitativo do mundo natural
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 14.11.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FFLCH21000051849T GALLINA, A.L. 2003
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GALLINA, Albertinho Luiz; SILVA, Franklin Leopoldo e. Realismo e representação na filosofia de descartes. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Gallina, A. L., & Silva, F. L. e. (2003). Realismo e representação na filosofia de descartes. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Gallina AL, Silva FL e. Realismo e representação na filosofia de descartes. 2003 ;
    • Vancouver

      Gallina AL, Silva FL e. Realismo e representação na filosofia de descartes. 2003 ;

    Últimas obras dos mesmos autores vinculados com a USP cadastradas na BDPI: