Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Metrics


Metrics:

Evolução dos índices dopplervelocimétricos da artéria cerebral média em fetos de gestantes normais (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: MAUAD FILHO, FRANCISCO - FMRP
  • USP Schools: FMRP
  • DOI: 10.1590/s0100-72032003000600009
  • Subjects: ARTÉRIA CEREBRAL MÉDIA; ULTRASSONOGRAFIA; GRAVIDEZ
  • Language: Português
  • Abstract: Objetivo: observar a evolução dos índices de resistência, pulsatilidade, velocidade máxima, velocidade diastólica final e tempo de aceleração da artéria cerebral média fetal entre a 22ª e a 38ª semana de gestação. Métodos: foi feito estudo observacional prospectivo e longitudinal no qual 33 fetos de gestantes normais foram avaliados entre a 22ª e a 38ª semana de gestação. A idade gestacional foi determinada pela data da última menstruação e/ou pelo exame ultra-sonográfico do primeiro trimestre. Os exames ultra-sonográficos com Doppler foram feitos por um único observador, que utilizou aparelho modelo Image Point 1800 (Hewlett Packard), com transdutor multifreqüencial. Para a aquisição do traçado Doppler da artéria cerebral média, o indicador de amostra foi calibrado para um volume de amostra de 1 m'm POT.3' e colocado na artéria cerebral média anterior o mais próximo da calota craniana. O ângulo de insonação foi mantido entre 5o e 19o e o filtro foi ajustado na freqüência de 50-100 Hz. Os recém-nascidos foram avaliados no intuito de comprovar que os fetos eram vigorosos e adequados para a idade gestacional. Resultados: os resultados obtidos para o índice de resistência e pulsatilidade revelaram que a evolução dos valores no período entre a 22ª e a 38ª semana é descrita por uma equação do 2° grau, representando uma parábola. Os valores medianos para o índice de resistência foram de 0,81 na 22ª semana e 0,75 na 38ª semana. O índice de pulsatilidade foi de 1,59 na 22ªsemana e 1,45 na 38ª semana. A velocidade sistólica máxima aumentou progressivamente ao longo da gestação, com valores de 26,3 cm/s na 22ª semana e 57,7 cm/s na 38ª semana. A velocidade diastólica final teve aumento progressivo a partir de 26 semanas (5,21 cm/s) até o termo (14,6 cm/s). O tempo de aceleração mostrou aumento significativo apenas entre 26 e 30 semanas, cujos valores foram de 0,04 s na 26ª semana e 0,05 s na 30ª semana. Conclusão: Continua.. Continuação... concluiu-se que os índices de resistência, pulsatilidade e velocidade sistólica máxima apresentaram valores variáveis de acordo com a idade gestacional e são semelhantes ao observado na maioria dos estudos anteriores. O tempo de aceleração apresentou pequenas modificações nas semanas gestacionais avaliadas
  • Imprenta:
  • Source:
  • Acesso online ao documento

    DOI or search this record in
    Informações sobre o DOI: 10.1590/s0100-72032003000600009 (Fonte: oaDOI API)
    • Este periódico é de acesso aberto
    • Este artigo é de acesso aberto
    • URL de acesso aberto
    • Cor do Acesso Aberto: gold
    • Licença: cc-by-nc
    Informações sobre o Citescore
  • Título: Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetricia

    ISSN: 0100-7203

    Citescore - 2017: 0.6

    SJR - 2017: 0.292

    SNIP - 2017: 0.334


  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    FMRP11200043863-Spcd 1345974
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      COSTA, Antônio Gadelha da; MAUAD FILHO, Francisco; SPARA, Patrícia; et al. Evolução dos índices dopplervelocimétricos da artéria cerebral média em fetos de gestantes normais. RBGO - Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 437-442, 2003. DOI: 10.1590/s0100-72032003000600009.
    • APA

      Costa, A. G. da, Mauad Filho, F., Spara, P., Freitas, P. de, Ferreira, A. C., Garcia, J., & Pinheiro Filho, L. (2003). Evolução dos índices dopplervelocimétricos da artéria cerebral média em fetos de gestantes normais. RBGO - Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 25( 6), 437-442. doi:10.1590/s0100-72032003000600009
    • NLM

      Costa AG da, Mauad Filho F, Spara P, Freitas P de, Ferreira AC, Garcia J, Pinheiro Filho L. Evolução dos índices dopplervelocimétricos da artéria cerebral média em fetos de gestantes normais. RBGO - Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. 2003 ; 25( 6): 437-442.
    • Vancouver

      Costa AG da, Mauad Filho F, Spara P, Freitas P de, Ferreira AC, Garcia J, Pinheiro Filho L. Evolução dos índices dopplervelocimétricos da artéria cerebral média em fetos de gestantes normais. RBGO - Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. 2003 ; 25( 6): 437-442.