Ver registro no DEDALUS
Exportar registro bibliográfico

Estudo da variabilidade cariótipica em Platyrrhini (Primates) e da homeologia com o cromossomo 15 humano (2003)

  • Authors:
  • USP affiliated authors: IUGHETTI, CRISTIANI GIFALLI - IB
  • USP Schools: IB
  • Sigla do Departamento: BIO
  • Subjects: PRIMATAS; CITOGENÉTICA; CROMOSSOMOS
  • Language: Português
  • Abstract: Analisamos os cariótipos de espécies de macacos brasileiros (Platyrrhini, Primates) com técnicas tradicionais e de hibridação in situ fluorescente (FISH) com a sonda total do cromossomo 15 humano. As metáfases foram obtidas após cultura de linfócitos de sangue periférico. Ateles paniscus chamek, com 2n = 34, sendo 30 autossomos metacêntricos (M) e/ou submetacêntricos (SM) e 2 acrocêntricos (A); o cromossomo X era SM e o Y A. Ateles belzebuth marginatus (2n = 34) tem cariótipo semelhante e a diferença em um par foi atribuída ao mecanismo de inversão pericêntrica. Pares heteromórficos são freqüentes em Ateles. A variabilidade cromossômica intra e interespecífica neste gênero foi explicada por inversões pericêntricas. Lagothrix lagothricha, com 2n = 62 cromossomos agrupados em 34 M e/ou SM e 28 A (?) e em 31 M e/ou SM e 31 A (?); o cromossomo Y era um pequeno A e os cromossomos X, SM. Estas diferenças confirmam variabilidade cromossômica intra-específica. Foram observados pares heteromórficos resultantes de inversões pericêntricas. Brachyteles arachnoides, 2n = 62, com 24 M e/ou SM e 36 A.; o cromossomo X era SM e o cromossomo Y, A muito pequeno. Os cariótipos de Lagothrix e Brachyteles eram muito semelhantes. Alouatta fusca clamitans, ? com 2n = 50 cromossomos, 20 M e/ou SM e 30 A, ou, em 18 M e/ou SM e 32 A; ? com 2n = 49, 18 M e/ou SM e 31 A, a diferença no número diplóide ocorre pela translocação Y-autossomo. Foram observados paresheteromórficos resultantes de inversões pericêntricas, prováveis mudanças de posição de centrômero ("shift") e translocação Y-autossomo. Variabilidade intrapopulacional e intra-específica foi observada nos cariótipos deste bugios. Alouatta caraya, com 52 cromossomos, agrupados em 20 M e/ou SM e 30 A e os cromossomos X SM (?), ou, em 20 M e/ou SM e 32 A e o cromossomo X SM e o Y A (?). Pares heteromórficos foram observados, resultantes de inversões pericêntricas. Cebus apella tinha 2n = 54 cromossomos distribuídos em 22 M e/ou SM e 30 A; o cromossomos X era SM e o Y A. As diferenças cariotípicas observadas para Cebus apella foram atribuídas à processos de inversões pericêntricas e ao tamanho e localização da heterocromatina constitutiva. Aotus nigriceps, com 51 cromossomos agrupados em 29 M e/ou SM, 20 A e os cromossomo X SM (?); e, com 49 cromossomos distribuídos em 25 M e/ou SM e 24 A, com translocação Y-autossomo. Os pares heteromórficos são resultantes de inversões pericêntricas. Esta diferença mostra a grande variabilidade cromossômica observada em Aotus decorrente de inversões pericêntricas, fusões cromossômicas e rearranjos mais complexos. A hibridação da sonda total do cromossomo 15 humano com os dos espécimes estudados revelou marcação: Ateles paniscus chamek, em dois pares de cromossomos: braço longo (q) distal e proximal do par 2 e braço curto (p) proximal do 4; Lagothrix lagothricha, sinais encontrados em 3 pares decromossomos: 7p mais proximal em um homólogo e mais distal no outro (inversão pericêntrica), 25q terminal e 27q quase inteiro; Brachyteles arachnoides, em três pares de cromossomos: 6p, 23q distal e 29q praticamente inteiro; Alouatta fusca clamitans, em dois pares cromossômicos: 1q distal e 4p mais distal em um homólogo e mais proximal no outro (rearranjo cromossômico); Alouatta caraya, em dois pares cromossômicos: 7p distal e 19q distal; Cebus apella, em dois pares cromossômicos: 7p e 22q; Aotus nigriceps, em dois pares de cromossomos: 1q proximal e 8p. Os primatas do Novo Mundo apresentam extensa reorganização do seu genoma
  • Imprenta:
  • Data da defesa: 12.09.2003

  • Exemplares físicos disponíveis nas Bibliotecas da USP
    BibliotecaCód. de barrasNúm. de chamada
    IB12000021209M-1127
    How to cite
    A citação é gerada automaticamente e pode não estar totalmente de acordo com as normas

    • ABNT

      GIFALLI, Cristiani Constantino; KOIFFMANN, Célia Priszkulnik. Estudo da variabilidade cariótipica em Platyrrhini (Primates) e da homeologia com o cromossomo 15 humano. 2003.Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.
    • APA

      Gifalli, C. C., & Koiffmann, C. P. (2003). Estudo da variabilidade cariótipica em Platyrrhini (Primates) e da homeologia com o cromossomo 15 humano. Universidade de São Paulo, São Paulo.
    • NLM

      Gifalli CC, Koiffmann CP. Estudo da variabilidade cariótipica em Platyrrhini (Primates) e da homeologia com o cromossomo 15 humano. 2003 ;
    • Vancouver

      Gifalli CC, Koiffmann CP. Estudo da variabilidade cariótipica em Platyrrhini (Primates) e da homeologia com o cromossomo 15 humano. 2003 ;